Cineclube da Fundação Badesc exibe Mostra Terorre All’italiana

terrorNos dias 17, 18, 20 e 27 de julho, o Cineclube da Fundação Cultural Badesc apresenta a Mostra Terrore All’italiana, com exibição de filmes italianos que marcaram o cinema de horror entre as décadas de 50 e 80. A singularidade destes filmes faz com que eles se sobressaiam à média do gênero. Apesar da grande variedade de estilos, existem algumas características marcante: são geralmente histórias de assassinato conduzidas por uma narrativa de investigação com cenas sangrentas e impactantes.

 

A seleção de filmes indica uma linha histórica de desenvolvimento formal e narrativo, pontuando  algumas das evoluções pelas quais este importante gênero do cinema europeu passou com os realizadores mais representativos: Riccardo Freda, Mario Bava, Dario Argento e Lucio Fulci.

 

As exibições iniciam às 19h e a entrada é gratuita.

 

Os diretores:

 

Riccardo Freda

Artista multifacetado, inicialmente escultor e pintor antes de se dedicar à realização cinematográfica, Freda adaptou clássicos de Pushkin, Dante e Victor Hugo antes de realizar o primeiro filme de terror sonoro da Itália, Os Vampiros, que abre a mostra. Para ele, o horror “(…) não tem nada a ver com a representação objetiva de algum monstro” e “está entranhado em nós desde o nascimento”.

 

Mario Bava

Iniciou sua carreira como criador de efeitos especiais para o cinema, um talento que levou para suas próprias produções e que, em convergência com a sua experiência como diretor de fotografia e iluminador, marcou a visualidade dos seus próprios filmes. Seu gênio influenciou profundamente não somente os filmes italianos de horror mas também a produção de diretores de todo o mundo (de Dario Argento a Quentin Tarantino).

 

Dario Argento

Ex-crítico de cinema, co-argumentista e co-roteirista de Era uma Vez no Oeste com Bernardo Bertolucci e Sergio Leone, é considerado por muitos o maior expoente do gênero. Argento é também um dos cineastas mais instigantes a iniciar carreira no cinema italiano a partir da década de 1970.

 

Lucio Fulci

Iniciou a carreira como crítico de arte, assistente de direção e roteirista para depois tornar-se diretor de alguns dos filmes mais violentos e perturbadores do filme fantástico italiano. Alguns de seus filmes foram proibidos, censurados ou editados em outros países devido ao seu conteúdo.

 

 

Sinopses

Dia 17, segunda-feira

Os Vampiros

(I Vampiri) de  Riccardo Freda, Mario Bava. Itália. 1957. 82 min. Terror. Sem classificação. Com Gianna Maria Canale, Carlo D’Angelo, Dario Michaelis.

Jornalista investiga o assassinato de garotas que aparecem mortas sem sangue e descobre que elas estão sendo usadas para manter a vida eterna de uma duquesa.

 

Dia 18, terça-feira,

Seis Mulheres Para o Assassino

(Sei Donne per L’assassino) de Mario Bava. Itália, França, Mônaco. 1964. 88 min. Terror, Mistério. Sem classificação. Com Cameron Mitchell, Eva Bartok, Thomas Reiner.

Homem mascarado persegue e mata as modelos de um ateliê de moda.

 

Dia 20, quinta-feira

Prelúdio Para Matar

(Profondo Rosso) de Dario Argento. Itália. 1975. 126 min. Terror, mistério. Sem classificação. Com  David Hemmings, Daria Nicolodi, Gabriele Lavia.

Após testemunhar o assassinato de uma famosa médium, pianista investiga o crime com a ajuda de uma repórter, enquanto os dois são perseguidos pelo assassino que quer silenciá-los.

 

Dia 27, quinta-feira

As Sete Portas do Inferno

(…E tu vivrai nel terrore! L’aldilà) de Lucio Fulci. Itáia. 1981. 87 min. Terror. Sem classificação. Com  Catriona MacColl, David Warbeck, Cinzia Monreale.

Garota herda antigo hotel nos Estados Unidos e descobre que ele está construído sobre uma das portas do inferno.

 

 

Serviço:
O que: Mostra Terrore All’italiana
Quando: 17, 18, 20 e 27 de julho, às 19h
Local: Fundação Cultural Badesc – Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis – telefone: (48) 3224-8846
Entrada gratuita


Tags:

Blogspot Twitter