Cineclube agosto

julho 31, 2013 | CINECLUBE

Confira a programação dos cineclubes no mês de agosto. As sessões ocorrem de segunda a sexta, às 19h.

Dia 01, quinta-feira, Imagens Políticas
De pernas pro ar 2
De Roberto Santucci, Brasil, 2012. 98min. Comédia. 14 anos. Com Ingrid Guimarães, Maria Paula, Bruno Garcia.
Empresária de produtos eróticos sofre pane por estresse e se refugia em asilo terapêutico.
Convidado: Jorge Luiz Miguel, formado em artes plásticas pela Udesc.

na cidade vaziaDia 02, sexta-feira, Cine Africano
Na cidade vazia
De Maria João Ganga, Angola/Portugal, 2004. 90 min. Drama. 12 anos. Com João Roldan, Domingos Fernandes Fonseca, Júlia Botelho, Raúl Rosário.
Em meio à guerra civil de Angola, menino foge do grupo de crianças refugiadas e conhece personagens e as diferentes faces de uma cidade consumida pela destruição.

 

 

eu me lembroDia 05, segunda-feira, Cinema pela Verdade
Eu me lembro
De Luiz Fernando Lobo, Brasil, 2012. 96min. Documentário. 14 anos.
Uso de imagens de arquivos e entrevistas para reconstruir a luta de alguns perseguidos pela ditadura civil-militar, que buscam reparação da memória e da verdade do período.

 

 

 

infancia clandestinaDia 06, terça-feira, Cinema pela Verdade
Infância clandestina
(Infancia clandestina)
De Benjamín Ávila, Argentina, 2012. 112min. 14 anos. Com Natalia Oreiro, Ernesto Alterio, César Troncoso.
Argentina, 1979. Família vive clandestinamente para sobreviver à ditadura, obrigando os membros a adotarem nomes falsos fora de casa.

 

 

luzes na cidadeDia 07, quarta-feira, Art 7
Luzes da cidade
(City Lights)
De Charles Chaplin. EUA. 1931. 87min. Comédia. Livre.
Com Virginia Cherrill, Florence Lee, Charles Chaplin.
Vagabundo salva milionário bêbado da morte, sendo recompensado com mil dólares, que usa para ajudar florista cega por quem é apaixonado.

 

fogo sob a neveDia 08, quinta-feira, Cine Tibetano
Fogo sob a neve
(Fire under the snow)
De Makoto Sasa, EUA, 2008. 75min. Documentário. Livre.
História de um monge budista que foi preso pelo Exército Comunista Chinês em 1959 e atribui ao budismo sua sobrevivência durante 33 anos de encarceramento.

 

 

marighellaDia 09, sexta-feira, Cinema pela Verdade
Marighella
De Isa Grisspum Ferraz, Brasil, 2012. 100min. Documentário. 12 anos..
Carlos Marighella, inimigo da ditadura militar no Brasil, líder comunista e parlamentar, preso e torturado, se tornou famoso por ter redigido o Manual do Guerrilheiro Urbano.

 

 

vozes silenciosasDia 12, segunda-feira, Cine Francês
Vozes silenciosas
(Qu’un seul tienne et les autres suivront)
De Léa Fehner, França, 2009. 119min. Drama. 14 anos. Com Farida Rahouadj, Julien Lucas, Marc Barbe, Pauline Etienne, Reda Kateb, Vincent Rottiers.
Na sala de visitas de uma prisão francesa, a vida de um grupo de homens e mulheres se conecta por acaso através de destinos comuns.

 

 

noDia 13, terça-feira, Cinema pela Verdade
NO
De Pablo Larraín, Chile/EUA/França/México, 2012. 118min. Drama. 16 anos. Com Gael García Bernal, Alfredo Castro, Luis Gnecco.
Um publicitário cria uma campanha para derrotar Augusto Pinochet na corrida presidencial chilena de 1988.

 

 

treasure badgesDia 14, quarta-feira, Art 7
O Tesouro de Sierra Madre
(The Treasure of the Sierra Madre)

De John Huston. EUA. 1948. 126min. Aventura. Livre.Com Humphrey Bogart, Walter Huston, Tim Holt.
Três aventureiros em busca de ouro em terras mexicanas, enfrentam bandidos e a própria ganância.

 

 

Dia 15, quinta-feira, Cine Alemão
A música do pai
(Nach der Musik)

De Igor Heitzmann, Alemanha, 2007. 105min. Documentário. Livre.
Relato da vida íntima de Otmar Suitner, consagrado maestro austríaco, e pai do diretor de cinema Igor Heitzmann.

o artistaDia 16, sexta-feira, Psicanálise vai ao cinema
O artista
(The artist) De Michel Hazanavicius, França/EUA/Bélgica, 2011. 100min. Drama. Livre. Com Jean Dujardin, Bérénice Bejo, John Goodman.
Astro do cinema conhece uma jovem dançarina, porém a ascenção do cinema falado os leva para lados opostos do sucesso.

 

 

a vida dupla de veroniqueDia 19, segunda-feira, O filme que gostaria de ter feito
A dupla vida de Véronique
(La double vie de Véronique)De Krzysztof Kieslowski, França/Polônia/ Itália, 1991. 98min. Drama/Fantasia. 16 anos. Com Irène Jacob, Halina Gryglaszewska, Kalina Jedrusik
Duas jovens da mesma idade e com gostos musicais identicos partilham uma ligação metafísica inexplicável, pois não se conhecem e moram em países diferentes.

Convidado: Felipe Vernizzi, cineasta.

 

 

vicky-cristina-barcelonaDia 20, terça-feira, Sessão Divas
Vicky Cristina Barcelona
(Vicky Cristina Barcelona)
De Woody Allen, Espanha/EUA, 2008. 96min. Drama. 12 anos.Com Rebecca Hall, Scarlett Johansson, Javier Bardem, Penélope Cruz.
Duas amigas em férias na Espanha se apaixonam pelo mesmo pintor, que mantém uma relação turbulenta com a ex-mulher.

 

Dia 21, quarta-feira, Art 7
A noite americana
(La nuit americaine)

De François Truffaut. França/Italia. 1973. 115min. Drama. Livre. Com Jacqueline Bisset, Valentina Cortese, Jean-Pierre Léaud.
Bastidores de uma filmagem fictícia mostram problemas do elenco e da equipe técnica.

as invasões barbarasDia 22, quinta-feira, Cine Sesc
As invasões bárbaras
(Les invasions barbares)

De Denys Arcand, Canadá/França, 2003. 99min. Drama. 18 anos. Com Rémy Girard, Stéphane Rousseau, Marie-Josée Croze.
Durante seus últimos dias de vida, homem reúne antigos amigos, amantes do passado, sua ex-mulher e seu filho.

 

em nome do paiDia 23, sexta-feira, Sessão Divã
Em nome do pai
(In the name of the father)

De Jim Sheridan, Irlanda/Reino Unido, 1993. 133min. Drama. 16 anos. Com Alison Crosbie, Daniel Day-Lewis, Philip King.
Devido a uma confissão forçada, homem é sentenciado à morte por bombardear um pub, matando 5 pessoas. Ao tentar ajudar o filho, o pai também é preso e seus destinos ficam nas mãos de uma advogada britânica.
Convidado: Sérgio Scotti, psicanalista.

 

o espinho do coraçãoDia 26, segunda-feira, Cinema Francês
O espinho do coração
(L’épine dans le coeur)

De Michel Gondry, França, 2009. 86min Documentário. Livre.
Diante da câmera de seu sobrinho, professora conta aventuras cotidianas e revela uma realidade desconhecida da sua família.

 

 

bandido da luz vermelhaDia 27, terça-feira, Sessão Vilões
O bandido da luz vermelha
De Rogério Sganzela, Brasil, 1968. 92min. Drama/Policial. 14 anos. Com Helena Ignez, Paulo Villaça, Pagano Sobrinho.
Um assaltante de residências de São Paulo, apelidado pela imprensa de “Bandido da Luz Vermelha”, desconcerta a polícia ao utilizar técnicas peculiares nos crimes.

 

 

BladeRunnerDia 28, quarta-feira, Art 7
Blade Runner – O caçador de andróides
(Blade Runner)
De Ridley Scott, EUA/Hong Kong/Reino Unido, 1982. 117min. Ficção Científica. Com Harrison Ford, Rutger Hauer, Sean Young.
Replicantes rebeldes, usados na colonização de outros planetas, retornam à Terra e são caçados por ex-policial.

 

pantaleonDia 29, quinta-feira, Hispano Movies
Pantaleão e as visitadoras
(Pantaleón y las visitadoras)

De Francisco J. Lombardi, Peru/Espanha, 2000. Com Salvador del Solar, Angie Cepeda, Mónica Sánchez.
Renomado capitão do exército peruano é encarregado de levar um grupo de prostitutas para o campo militar, a fim de aliviar o sofrimento dos soldados.

 

shirley-valentineDia 30, sexta-feira, Cinema, Chá e Cultura
Shirley Valentine
(Shirley Valentine)

De Lewis Gilbert, Reino Unido/EUA, 1989. 108min. Drama. Livre. Com Pauline Collins, Tom Conti, Julia McKenzie.
Em crise com a vida e com o casamento, dona de casa viaja durante duas semanas pela Grécia para recuperar seus sonhos de juventude.
Convidada: Anastasia Bakogianni, doutora em Classical Studies da Open University.

Tags: ,

Comments (2)

 

  1. Alcides Goularti Filho disse:

    Apenas um breve comentário para refletir.
    Quando o cinema é da França é “cine francês”, quando é da Argentina é “cine argentino”, quando é da Alemanha é “cine alemão”. Oras, porque quando é da Angola é “cine africano e não “cine angolano”? Africa é um imenso continente que reúne quase 40 países muito dispares! O que é África, se não uma invenção europeia que acho que todos são negro e pobres? Sugiro quando o filme for da Nigéria chamar de “cine nigeriano”, de Moçambique “cine moçambiquenho” e de Angola “cine angolano”, ou já ouviste falar do “cine da América do Norte”?
    Abraços

    • fcbadesc disse:

      Olá Alcides,

      Nossos cineclubes parceiros têm autonomia em sua gestão e sugestão de filmes, como é o caso do “Cine Africano” regido pelo LEHAf (Laboratório de Estudos de História da África). Ele é “Africano”, se referente ao continente, pois seu programa de 6 meses visa tratar de 6 ou mais países. Ano que vem, quando for renovada a parceria, também será esse o enfoque. Em casos como Cine Alemão e Francês, são parcerias com instituições NACIONAIS do país referente. Já o Cinema, Chá e Cultura, segue uma linha similar ao Africano – é uma parceria com a Cultura Inglesa mas traz filmes de deferentes países sob a coroa britânica.

      Espero ter esclarecido qualquer dúvida e atendido às expectativas. Caso persistam, o convido à comparecer ao Cineclube Africano e conversar diretamente com os organizadores do Laboratório de Estudos.

      Att.

      Marina

Deixe seu comentário

Blogspot Twitter