Programação 2017

 

Junho

capa site junho

 

 

 

 

 

 

 

ESPAÇO FERNANDO BECK

Obscena, de Iam Campigotto

Abertura dia 08 de junho, quinta-feira, às 19h.

Visitação até 01 de julho, de segunda a sexta-feira, das 12h às 19h.

Entre a performance, o acaso e o registro, Obscena traz à cena o corpo exposto do artista em diferentes suportes e dispositivos. Imagens sonoras e visuais cartografam ações-acontecimentos. Iam Campigotto é formado em Artes Visuais pela UDESC. Em 2015 e 2016 residiu na Alemanha onde participou de festivais e exposições coletivas.

 

ESPAÇO 2

O Mundo que Cabe nas Pupilas, de Cassia Aresta

Abertura dia 22 de junho, quinta-feira, às 19h.

Visitação até 27 de julho, de segunda a sexta-feira, das 12 às 19h.

Exposição com fotos em que mostram-se paisagens achadas que não foram previamente imaginadas. Textura, densidade, luz e sombra produzem o resultado que passa despercebido pelo caminhante distraído.“Este é um momento de meu trabalho onde a minha mão não guia meu traço”. Cassia Aresta é artista visual, trabalha e reside em Florianópolis.

 

 

CIRCUITO PROPAGAÇÕES – Galeria Municipal | Chapecó

Exprimível do Vazio, de Juliana Hoffmann

Abertura dia 01 de junho, quinta-feira, às 19h.

Visitação até 07 de julho, de segunda a sexta-feira, das 12 às 19h.

Inaugurando parceria entre SESC/SC e Fundação Cultural Badesc a exposição integrará o Circuito Propagações nas cidades de Chapecó, na Galeria Municipal de Arte do Centro de Cultura e Evento, de 01/06 até 07/07, em Florianópolis, na Fundação, de 20/07 até 24/08, e nas Galerias de Arte do Sesc nas cidades de Jaraguá  do Sul, de 01/09 até 20/10 e em Joinville de 09/11 até 29/12.

.

 

Oficina de Degustação de Vinhos Catarinenses

Dia 13, terça-feira, às 14 e 17h30  e dia 14, quarta-feira, às 14 e 17h30.

Em comemoração ao Dia do Vinho Catarinense, oficinas de de-gustação abertas ao público e gratuitas, com a orientação de Márcia Maluf Palei. Inscrições disponíveis através do e-mail fundacaoculturalbadesc@gmail.com a partir do dia 01/06..

 

10ª Entremostras

De 05 de junho até 02 de julho.

Feira que acontece no dia 15 de julho e proporciona espaço para o comércio e contato entre artistas e público. Mais informações e regulamento no site da Fundação. O valor máximo das obras será de R$ 1.500. As inscrições para a 10ª Entremostras estão abertas até o dia  05 de novembro através do e-mail: fundacaoculturalbadesc@gmail.com.

 

 

Curso História da Arte e suas Transitividades

Dia 24, sábado, das 14 às 18h

A partir das exposições ocorridas na Fundação, o curso ministradro por Rosângela Cherem (profa.do PPGAV- CEART-UDESC). Abordará como o espaço e o corpo, as cenas e as coisas se tornam questões relacionadas com a HISTÓRIA DA ARTE. Os encontros serão mensais até novembro.

 

Livros

A Natureza Morta e O Trapézio e a Vertigem

Dia 30 de junho, às 19h

Dois livros de autoria de Leopoldo Comitti, poeta, escritor e ensaísta: um romance policial e um ensaio sobre o filme Asas de desejo, de Wim Wenders, que será exibido na sessão do cineclube da quinta-feira, dia 29.

 

Cinema

Festival de Cinema Europeu

De 29 de maio a 3 de junho

Continua no Cineclube e o Festival de Cinema Europeu, dentro da programação que comemora o Dia da Europa em todo o Brasil. Serão exibidos 13 filmes de diversos países daquele continente.

 

Sessao do Festival Varilux

Dia 12 de junho

Em parceria com a Aliança Francesa, a Fundação Cultural Badesc recebe um dos filmes do Festival Varilux de Cinema Francês 2017, o documentário “Amanhã”, que será comentado por Eduardo Rodrigues Maneira.

 

CINECLUBE

 

Dia 1, quinta-feira, Festival de Cinema Europeu

17h

01 - Da sua janela a minha 3De sua janela à minha

(De tu ventana a la mía) de Paula Ortiz. Espanha. 2011. 107 min. Drama. Livre.

Violeta, Inês e Luisa são mulheres de idades diferentes, cujos dias transcorrem em aparente placidez do outro lado da janela.

19h

01 - Nossa estrangeiraNossa Estrangeira

(Notre Etrangère) de Sarah Bouyain. França, Burkina Faso. 2010. 82 min. Drama. Livre.

Jovem sai de Paris e retorna a sua terra natal, Burkina Fasso, procurando sua mãe, da qual foi separada aos 8 anos. Paralelamente, uma burquinense procura desesperadamente por sua filha em Paris.

 

Dia 2, sexta-feira, Festival de Cinema Europeu

15h

02 - o primeiro cargoO primeiro cargo

(Il primo incarico) de Giorgia Cecere. Itália. 2011. 90 min. Drama. Livre.

Em 1953, jovem professora assume cargo em um vilarejo da Puglia, onde encontra uma realidade hostil e quase arcaica.

 

 

17h

MARCELAMarcela

de Helena Trestíková. Rep. Tcheca. 2007. 80 min. Documentário. 12 anos.

A vida de uma cidadã tcheca ao longo de várias décadas, mostrando sua luta diária e as tragédias vividas.

 

 

19h

02 - mamae e outras figuracas da familia 2Mamãe e outras figuraças da família

(Anyám és más futóbolondok a családból) de Ibolya Fekete. Hungria. 2015. 108 min. Drama. 12 anos.

A história de quatro gerações de mulheres durante o século XX na Hungria, passando pelas mudanças que o país atravessou, entre elas, guerras mundiais, tratados de paz, revolução.

 

Dia 3, sábado, Festival de Cinema Europeu

14h

03- excentrica AntoniaA Excêntrica Família de Antônia

(Antonia) de Marleen Gorris. Países Baixos. 1995. 102 min. Comédia dramática. Livre.

Comandada por Antônia, uma saga familiar atravessa três gerações, falando de força, de beleza e de escolhas que desafiam o tempo.

 

 

16h

03 - amaliaAmália – O Filme

De Carlos Coelho da Silva. 2008. 127 min. Drama / Biografia. 12 anos.

Retrato romanceado de um período longo da vida da fadista Amália Rodrigues, figura fundamental na história do século XX português.

 

 

 

18h30

CAMINHO DA HALIMAO Caminho de Halima

(Halimin put) de Arsen Anton Ostojić. Croácia. 2012. 83 min. Drama. Livre.

Corajosa e forte mulher muçulmana tenta encontrar os restos mortais de seu filho morto na Guerra da Bósnia. Para isso, ela precisa reviver dores e mistérios do passado.

 

 

Dia 05, segunda-feira, 19h, Cine Africano

05 - cine africanoLições do Lixo

(Nyamanton) De Cheick Oumar Sissoko. Mali.1987. 90min. Drama. Sem classificação. Com Chaka Diarra, Alikaou Kanté e Maciré Kanté.

Em Bamako, Kalifa e Fanta, expulsos da escola, começam a trabalhar meio expediente, como catador de lixo e vendedora de laranjas, para auxiliar no orçamento doméstico e continuar na escola. As chagas sociais de um país em transição são mostradas no dia a dia das crianças e sua família.

 

Dia 06, terça-feira. 19h, Imagens do Desejo

6 - o filho da noivaO filho da noiva

(El Hijo de la Novia) De Juan José Campanella. Espanha, Argentina. 2001. 123 min. Comédia dramática.

Sem classificação.Com: Ricardo Darín, Norma Aleandro e Héctor Alterio.

Aos 42 anos Rafael Belvedere está em crise. Em meio a todas as suas responsabilidades, sofre um ataque cardíaco que faz com que se encontre novamente com Juan Carlos, um amigo de infância, que o ajuda a reconstruir seu passado e ver o presente com outros olhos.

 

Dia 07, quarta-feira, 19h, Art 7

07 - por onde os anjos nao passamPor Onde os Anjos Não Passam  

(Where Angels Fear to Tread) de Charles Sturridge. Reino Unido. 1991. 116min. Drama/Romance. Sem classificação. Com Barbara Jefford, Helen Mirren, Helena Bonham Carter

Vinda de uma abastada família inglesa, uma viúva viaja à Itália para um período de férias. Em apenas onze dias, ela se apaixona e se casa com um jovem de classe social inferior.

 

Dia 08, quinta-feira, 19h, Cine Imagens Políticas

08 - GuatahaGuataha

De Clarissa Knol. Brasil. 2014. 52min. Documentário. Livre. Com Guilherme Tupã Nhevangaju Rocha, Cassemiro Pereira Centurião e Delia Takua Yju Martines Rocha.

As narrativas míticas Ava-Guarani da Destruição e da Criação do mundo são contadas pelo xamã da aldeia Ocoy, relacionando-as aos resquícios do alagamento da aldeia Jacutinga pela Usina Hidrelétrica de Itaipu e à jornada de Délia, neta do xamã, pela fronteira entre o Brasil e o Paraguai.

Comentarstas: Alai Diniz, professora e roteirista de Guataha, e Henrique Finco, professor do curso de Cinema da UFSC.

 

Dia 09, sexta-feira, 19h, Sessão Divã

INTROInto eternity: A film for the future

De Michael Madsen. Dinamarca, Finlândia, Suécia, Itália. 2010. 75min. Documentário. Sem classificação.

Documentário sobre segurança de armazenamento nuclear.

Comentaristas: Julian Alexander Brzozowski, doutorando em Cinema na UFSC e Leojorge Panegalli, psicanalista.

 

Dia 12, segunda-feira, 19h, Cine Aliança Francesa – Festival Varilux

12 - amanhãAmanhã

(Demain) de Cyril Dion e Mélanie Laurent. França. 2015. 118min. Documentário. Sem classificação.

A respeito das mudanças climáticas, especialistas propõem soluções.

Comentarista: Eduardo Rodrigues Maneira (Global Shapers).

 

Dia 13, terça-feira, 19h, Sessão Oficina do Vinho

13 - o julgamento de parisO Julgamento de Paris

(Bottle Schck) de  Randall Miller. EUA. 2018. 110min. Comédia.

História dos primórdios da indústria de vinho californiana. 

 

 

 

 

Dia 14, quarta-feira, 19h, rt 7

14 - janela para amorUma Janela para o Amor

(A Room with a View) de James Ivory. Reino Unido. 1985 117min. Drama/Romance. Sem classificação. Com Helena Bonham Carter, Daniel Day-Lewis, Maggie Smith

Uma jovem inglesa aristocrática que não aceita ser controlada. Em viagem à Florença, conhece um jovem libertário, e começa um relacionamento com ele que choca a sociedade.

 

Dia 16, sexta-feira, 19h, Psicanáise vai ao Cinema

16 - nome de famíliaNome de família

(The Namesake) De Mira Nair. Índia, EUA. 2006. 116min. Drama. 12 anos. Com Irfan Khan, Tabu e Kal Penn.

Um nome perpassa os acontecimentos de uma família indiano-estadunidense. Ele desenlaça tradições e promove aberturas.

 

 

Dia 19, segunda-feira, 19h, Foco em Cinema

19 - scenario du film passionScénario du film “Passion”

De Jean-Luc Godard. França. 1982. 54min. Documentário. Sem classificação.

Godard fala sobre o cinema.

 

 

 

19 - 23rd psalm branch23rd Psalm Branch

De Stan Brakhage. EUA. 1968. 63min. Experimental. Sem classificação.

Relações entre diferentes modos de imagens.

 

 

 

Dia 20, terça-feira, 19h, Foco em Cinema

20 - hercules conquista atlantidaHércules na conquista da Atlântida

(Ercolle alla conquista di Atlantide) de Vittorio Cottafavi. Itália, França. 1961. 101min. Aventura. Sem classificação. Com Reg Park, Fay Spain e Ettore Manni.

Hércules descobre um complô da Rainha de Atlântida para dominar o mundo.

 

Dia 21, quarta-feira, 19h, Art 7

21 - retorno a horwards endRetorno a Howard’s End

(Howards End) de James Ivory. Reino Unido. 1992. 140min. Drama/Comédia dramática. Sem classificação. Com Anthony Hopkins, Emma Thompson, Helena Bonham Carter

Irmãs que vivem de herança travam amizade com família de rico comerciante. Quando a esposa morre, ele propõe casamento à mais velha, criando um forte conflito entre ambas as famílias.

 

Dia 23, sexta-feira, 19h, O filme que eu gostaria de ter feito

23 - non ou a vã glória de mandarNon, ou a Vã Glória de Mandar

De Manoel De Oliveira. Portugal, Espanha, França. 1990. 110min. Drama. Sem classificação. Com Luis Miguel Cintra, Diogo Dória e Miguel Guilherme.

Episódios da história militar de Portugal narradas por um soldado.

Comentarista: Alfredo Manevy, professor doutor em audiovisual pela USP. Foi presidente da SPCine.

 

Dia 26, segunda-feira, 19h, Art 7

26 - passagem pra índiaPassagem para a Índia

(A Passage to India) de David Lean. EUA/Reino Unido.  1984. 164min. Drama/Ficção histórica. Sem classificação. Com Alec Guinness, Ann Firbank, Antonia Pemberton

Duas inglesas fazem uma viagem pela Índia nos anos 1920, imersa em intensos problemas raciais.

 

Dia 27, terça-feira, 19h, Os Fundamentos da Democracia

27 - socratesSócrates

(Socrate) de Roberto Rossellini. Itália, Espanha, França. 1971. 120min. Drama. Sem classificação. Com Jean Sylvère, Anna Caprile e Guiseppe Mannajuolo.

Os últimos dias da vida de Sócrates, seus ensinamentos finais, e o julgamento que determinou sua morte.

Comentarista: Gabriel Geller Xavier – doutorando em Filosofia na UFSC.

 

Dia 28, quarta-feira, 19h, Art 7

28 - mauriceMaurice

De James Ivory . Reino Unido. 1987. 140min. Drama. Sem classificação. Com Hugh Grant, James Wilby, Rupert Graves

No início do século, jovem e atraente executivo inglês confronta sua conduta sexual com os preconceitos da sociedade aristocrática.

 

 

 

Dia 29, quinta-feira, 19h, Sessão Especial

29 - asas do desejoAsas do Desejo

(Der Himmel über Berlin) de Win Wenders. Alemanha Ocidental, França. 1987. 128min. Livre. Com Bruno Ganz, Solveig Dommartin e Otto Sander.

Anjo deseja tornar-se humano após apaixonar-se por uma mulher.

Comentarista: Leopoldo Comitti – poeta, escritor, ensaísta e pós-doutor em literatura comparada.

 

Dia 30, sexta-feira, 19h, Estreia

A arte que me habita

De Mara Salla. Brasil. 2017. 15min. Documentário. Sem classificação.

Filmado durante a produção da exposição A PELE, acompanha a rotina da artista Albertina Prates.

Sessão Especial

30 - pele que habitoA pele que habito

(La piel que habito) de Pedro Almodóvar. Espanha. 2011. 120min. Drama. 16 anos. Com Antônio Bandeiras, Elena Alaya e Jan Cornet.

Cirurgião plástico sequestra jovem para fins macabros.

 

 

 

Maio

18118524_1276813832437358_2916710382350590576_n

CURSOS

Músicas afroamericanas como problema filosófico

Dias 3, 10, 17 e 24, às 16h

O curso se propõe a considerar se as músicas euro-afro-americanas devem ser analisadas segundo a teoria musical e filosofia tradicional. Serão identificados alguns componentes históricos da audição musical que incidem sobre a filosofia da música.  A seguir, serão identificados alguns traços das músicas afro-americanas e como eles foram abordados por filósofos de formação ortodoxa. Serão abordadas algumas teorias musicológicas que atribuem às teorias tradicionais algum tipo de surdez. Esse percurso permitirá retornar à filosofia da música numa perspectiva não-universalista.

 

VISITA GUIADA

Dia 20, sábado, às 14h

Visita guiada com o curador da Exposição Iconografia 344, Dr. Ylmar Corrêa

 

FESTIVAL

Múltipla Dança – 10ª edição

Dias 22, 23 e 24, às 19h

Variedade de falas e proposições para se aproximar da dança. Buscando ver, experimentar e debater essa arte, o Festival Múltipla Dança chega à sua 10ª edição. Na Fundação Badesc a programação terá mostras de videodança, lançamento de livro, homenagens e performance.

 

CINEMA

Art 7: Distopias

Dias 3, 10, 17 e 24, às 19h

As sessões do Art 7 em maio serão dedicadas ao tema das distopias. As distopias são geralmente caracterizadas pelo totalitarismo, autoritarismo e opressivo controle sobre a sociedade. A sociedade mostra-se corruptível, as normas criadas para o bem comum mostram-se flexíveis e a tecnologia é usada para controle. Distopias são frequentemente criadas na arte como avisos ou como sátiras.

 

ESTREIA: Guerrilha – A trajetória da Dorsal Atlântica

Dia 4, quinta-feira, às 19h

A história do Heavy Metal brasileiro e de um de seus fundadores passada a limpo: a banda carioca Dorsal Atlântica se reuniu em 2012 depois de mais de uma década separada. Uma dupla de fãs, Frederico Neto e Alexander Aguiar, resolveu transformar os 30 anos de história em filme.

 

Como Psicose funciona

Dia 26, às 19h e dia 27, às 15h

Dois dias de estudo em cinema: o filme Psicose, refilmado plano por plano por Gus Van Sant, é o contexto para a análise. Ao comparar o original de Alfred Hitchcock e a cópia, filmes supostamente iguais, vem à tona o mundo de diferença entre os dois. A sessão de sábado contará com aula do Professor Mauro Pommer, professor de cinema.

 

Estreia – Mirar

Dia 25, quinta-feira, às 19h

Realizado pelo boliviano Alejandro Medina, Mirar é uma representação artesanal da infância do cineasta. Filme de experiências e texturas, remete muito aos grandes diretores da Europa do Leste, resultando não em simples retrato naturalista, mas em uma mistura de documentário com construção cinematográfica íntima.

 

Festival de Cinema Europeu

De 29 de maio a 3 de junho

Novamente o Cineclube recebe a itinerância do Festival de Cinema Europeu, dentro da programação que comemora o Dia da Europa em todo o Brasil. Serão exibidos 13 filmes de diversos países como Alemanha, Eslováquia, Croácia e República Tcheca.

 

CINECLUBE

 

Dia 2, terça-feira, 19h, Cine Africano

2 - os silêncios do palacioOs Silêncios do Palácio

(Samt el qusur) De Moufida Tlatli. Tunísia,França. 1994. 128 min. Drama. 16 anos. Com Amel Hedhili, Najia Ouerghi, Hend Sabri.

A vida de Alia muda com a notícia da morte do príncipe, em cujo palácio sua mãe fora criada. No funeral, ela recorda sua infância no imenso palácio, onde observou todas as formas de opressão impostas às mulheres e sua relação proibida com a filha do príncipe.

 

Dia 3, quarta-feira, 19h, Art 7

3 - 19841984

de Michael Anderson. Reino Unido. 1956. 90 min. Drama, Ficção científica. Sem classificação. Com Edmond O’Brien, Jan Sterling, Michael Redgrave.

Em uma sociedade futurística totalitária, controlada pelo “Big Brother”, o amor é proibido. Um funcionário do Estado, responsável por reescrever a história, se apaixona e passa a ser visto como rebelde, sofrendo tortura e lavagem cerebral pelo seu crime.

 

Dia 4, quinta-feira, 19h, Estreia

4 - GuerrilhaGuerrilha – A trajetória da Dorsal Atlântica

de Frederico Neto, Alexander Aguiar. Brasil. 2015. 74 min. Documentário. 14 anos. Com Carlos Lopes, Alexandre Farias, André Barcinski.

o filme documenta o retorno da formação clássica da banda Dorsal Atlântica, separada há mais de 20 anos, para abordar as polêmicas da música extrema nas décadas de 80 e 90.

Haverá debate com a presença do diretor: Frederico Neto, gestor cultural e ocupante da cadeira de audiovisual do Conselho Municipal de Cultura do Rio de Janeiro.

 

Dia 5, sexta-feira, 19h, Os Diretores Apresentam

5 - meu pai adonaiMeu Pai Adonai – Pré-estreia

de Luiz Fernando F. Machado. Brasil, Itália. 2017.14 min. Ficção experimental. 16 anos. Com Adonai Supi Machado e Luiz F. F. Machado

A explosiva história de Adonai, um dos maiores jogadores brasileiros de futebol de todos os tempos que no auge de sua carreira envolveu-se com a máfia italiana e com o consumo de drogas. Adonai terminou sua vida vendendo lanches num trailer em Veneza.

18198404_1276051545846920_7810528562705419080_nPontilhismo

De Eduardo Ceron. Brasil. 2015. 6min. Experimental. Sem classificação.

Como a técnica de pontilhismo usada nas pinturas do impressionismo francês, o filme Pontilhismo, do diretor Eduardo Ceron, busca compor uma forma através de pontos luminosos em movimento. Um diálogo entre cinema e pintura que permite um olhar renovado sobre o real.

Haverá debate com a presença dos diretores Luiz F. F. Machado, realizador da Boanova Filmes; Eduardo Ceron, artista visual e estudante de Cinema. Já trabalhou como diretor de fotografia, diretor e tatuador.

 

Dia 8, segunda-feira, 19h, Sessão Divã

8 - estive em lisboa e lembrei de voceEstive em Lisboa e lembrei de você

de José Barahona. Brasil,Portugal. 2015. 94 min. Drama. 16 anos. Com Paulo Azevedo, Renata Ferraz, Amanda Fontoura.

Depois de um casamento frustrado, Sérgio resolve emigrar de Cataguases, no Brasil, para Lisboa, na tentativa de fazer um bom pé de meia para depois retornar à terra natal. Chegando lá, é confrontado com a realidade da imigração, bem diferente daquilo que sonhou.

Comentaristas: Leomaris W. Aires – licenciada em Língua Francesa e Literaturas (UFSC), mestre e doutoranda em Estudos da Tradução (UFSC). Mª Cecília Fritsche – psicóloga e psicanalista, membro da associação FCL-Fpólis em formação, bacharela em Letras e Literatura Francesa (UFSC).

 

Dia 9, terça-feira, 19h, Foco em Cinema – David Wark, Pioneiro

9 - griffithMusketeers of Pig Alley

De D. W. Griffith. EUA. 1912. 17min. Crime. Sem classificação. Com Elmer Booth, Lillian Gish e Clara T. Bracy.

Casal pobre se vê em meio a guerra de gangues rivais.

An unseen enemy

De D. W. Griffith. EUA. 1912. 17min. Suspense. Sem Classificação. Com Lillian Gish, Dorothy Gish e Elmer Booth.

Duas irmãs são mantidas reféns em um quarto mediante o uso de uma arma num buraco na parede.

Mothering heart

De D. W. Griffith. EUA. 1913. 29min. Drama. Sem classificação. Com Lillian Gish, Walter Miller e Kate Bush.

Mulher abandona marido infiel, mas se descobre grávida.

A corner in wheat

De D. W. Griffith. EUA. 1909. 14min. Drama. Sem classificação. Com Frank Powell, Grace Henderson e James Kirkwood.

Magnata malvado aumenta o preço do trigo no mercado, destruindo a vida de fazendeiros humildes.

 

Dia 10, quarta-feira, 19h, Art 7

10 - planeta dos macacosO Planeta dos Macacos

(Planet of the Apes) de Franklin J. Schaffner. EUA. 1968. 112min. Aventura, Ficção científica. Sem classificação. Com Charlton Heston, Roddy McDowall, Kim Hunter.

Um astronauta americano viaja por séculos em estado de hibernação. Ao acordar, ele e seus companheiros se vêem em um planeta dominado por macacos, no qual os humanos são tratados como escravos e nem mesmo têm o dom da fala.

 

Dia 11, quinta-feira, 19h, Imagens Políticas

11 - filme mashi trasiFilme MashiTrasi que Trasi

de Eduardo J. Alter. Palestina/Espanha. 2009. 52min. Documentário. Sem classificação.

Uma caravana de palhaços vai a Palestina com a missão de derrubar o Muro da vergonha com a sua única força: o riso.

Cápsula Festclown Palestine- West Bank 2014

de Pallasos en Rebeldía e Traço Cia de Teatro. Brasil, Palestina. 2014. 8 min. Documentário. Sem classificação.

Um pouco da intervenção dos palhaços da Traço Cia de Teatro na Palestina.

Comentaristas: integrantes dos Pallasos en Rebeldía no Brasil.

 

 

 

Dia 12, sexta-feira, 19h, Psicanálise Vai ao Cinema

12 - dente caninoDente Canino

(Kynodontas) de Yorgos Lanthimos. Grécia. 2009. 96min. Drama. 16 anos. Com Christos Stergioglou, Aggeliki Papoulia, Christos Passalis.

Com uma lei de ferro bastante singular, um pai educa seus filhos privados dos usuais laços sociais, até o imprevisto de um encontro.

Comentarista: Laureci Nunes, psicanalista, membro EBP-SC/AMP.

 

Dia 15, segunda-feira, 19h, Cinema, Chá e Cultura

15 - nao estou la horizontalNão Estou Lá

(I’m not there) de Todd Haynes. EUA, Alemanha. 2007. 135 min. Drama. 12 anos. Com Cate Blanchett, Richard Gere, Heath Ledger.

Seis atores interpretam versões de distintas fases da vida de Bob Dylan.

Comentarista: Ana Lúcia da Silveira Machado, assessora de relações internacionais (IFSC), graduada em Português-Inglês (FESC), com especialização em Educação para a Diversidade (IFSC).

 

Dia 16, terça-feira, 19h, O Filme que eu Gostaria de Ter Feito

16 - quanto mais quente melhorQuanto Mais Quente Melhor

(Some Like it Hot) de Billy Wilder. EUA. 1959. 121 min. Comédia, romance. Livre. Com Marilyn Monroe, Tony Curtis, Jack Lemmon.

Após testemunhar um assassinato de gângsters, uma dupla de músico se disfarça de mulheres para poder fugir da cidade.

Comentarista: José Geraldo Couto, crítico de cinema, jornalista e tradutor; escreve regularmente sobre cinema para a revista Carta Capital e mantém uma coluna de cinema no blog do Instituto Moreira Salles.

 

Dia 17, quarta-feira, 19h, Art 7

17 - fahrenheit 451Fahrenheit 451

de François Truffaut. Reino Unido. 1966. 112min. Ficção científica, Fantasia. Sem classificação. Com Oskar Werner, Julie Christie, Cyril Cusack.

Em um futuro próximo, os “bombeiros” têm como função queimar qualquer material impresso, pois a literatura é vista como propagadora da infelicidade. Um homem questiona tal raciocínio quando vê uma mulher preferir ser queimada com sua biblioteca ao invés de permanecer viva.

 

Dia 18, quinta-feira, 19h, Cine Alemão

18 - pais do silencio e da escuridaoO País do Silêncio e da Escuridão

(Land des Schweigens und der Dunkelheit) de Werner Herzog. Alemanha ocidental. 1971. 85 min. Documentário. Sem classificação.

Acompanha a vida de surdos-cegos: alguns encontraram refúgio num asilo; outros estão abandonados. Num plano mais profundo, o espectador descobre um ensaio fílmico e sensorial sobre a comunicação

 

Dia 19, sexta-feira, 19h, Cine Aliança Francesa


19 - a permanenciaA permanência

(La permanence) de Alice Diop. França. 2016. 97min. Documentário. Livre.

No Hospital Público de Avicenne são atendidos os pacientes imigrantes sem documentos. Há o que se parece com uma ilha de abandonados: homens doentes, marcados na carne por uma dor que é sua sentença de exílio. Ali ainda encontram a única maneira de levantar-se e resistir.

 

Dia 22, segunda-feira, 19h, Múltipla Dança

22Mostra de Vídeo-dança: parceria com o dança em foco – Festival internacional de Vídeo & Dança

 

COROEDIÇÕES AMÉRICAS

A Árvore do Esquecimento de Vinícius Cardoso. Brasil. 2015. 3 min. Coreografia: Jorge Garcia

3 Conversations de Tara Knight e Rebecca Salzer. Estados Unidos. 2015. 4 min. Coreografia: Rebecca Salzer

Right Here de Tara Knight e Rebecca Salzer. Estados Unidos. 2015. 3 min. Coreografia: Rebecca Salzer

Fall de Paulina Rutman. Chile. 2015. 6 min. Coreografia: Paulina Rutman.

Apartes de Alexandre Veras e Ernesto Gadelha. Brasil. 2015. 8 min. Coreografia: Ernesto Gadelha

 

EXPERIMENTOS

Fel i cidade de Paulo Cavalcanti. Brasil. 2014. 3 min. Coreografia: Maíra Alves

De água nem tão doce de Laura Virgínia e Shirley Farias. Brasil. 2006. 8 min. Coreografia: Laura Virgínia e Shirley Farias

Além da maré escura de Pedro Ventura. Brasil. 2014. 4 min. Coreografia: Sara Marchezini

Além da maré clara de Pedro Ventura. Brasil. 2014. 3 min. Coreografia: Sara Marchezini

Vindinós de Joana Laranjeira. Portugal. 2015. 11 min. Coreografia: Joana Laranjeira

Território feminino de Sarah Ferreira. Brasil. 2015. 4 min. Coreografia: Monica Pimenta

 

Dia 23, terça-feira, 19h, Múltipla Dança

23 - mostra videodancaMostra de Vídeo-dança: parceria com o dança em foco – Festival internacional de Vídeo & Dança

CURTAS INTERNACIONAIS

[blind]agem de Vinícius Costa. Brasil. 2015. 3 min. Coreografia: Grupo LAUT

Hundred sculptures of sembah de Yulius Seto. Java/Indonésia, 2015.10 min. Coreografia: Elsa Montenegro

2412 de John T. Williams. Estados Unidos. 2013. 8 min. Coreografia: Lisa K. Lock

Estancados de Ana Cecília Moreno. Bolívia. 2014. 8 min. Coreografia: Ana Cecília Moreno, Andrea Garnica, Lucia Alem, María Laura Sanz e Esteban Aranda.

Birds flying from my skull de Olivia Orthof. Estados Unidos. 2013. 5 min. Coreografia: Olivia Orthof

Finca de Larissa Paraguassú. Brasil. 2015. 5 min. Coreografia: Gabriela Gorges e Juarez Moniz

Plow plant reap de Marta Renzi. Estados Unidos. 2015. 13 min. Coreografia: Marta Renzi

Poroso de Yuri Tripodi. Brasil. 2015. 2 min. Coreografia: Yuri Tripodi

 

Dia 24, quarta-feira, 19h, Art 7

24 - no mundo de 2020No Mundo de 2020

(Soylent Green) de Richard Fleischer. EUA. 1973. 97min. Aventura, Ficção científica. Sem classificação. Com Charlton Heston, Edward G. Robinson, Leigh Taylor-Young.

Em 2022, Robert Thorn investiga o assassinato de um executivo cuja companhia produz uma comida sintética nutritiva. Mas, no processo de rastrear o assassino, Thorn desvenda várias informações chocantes sobre os ingredientes do produto.

 

Dia 25, quinta-feira, 19h, Estreia

25 - mirarMirar

de Alejandro P. D. Medina. Bolívia. 2014. 90 min. Drama. Sem classificação.

Bolívia, final dos anos 80: um menino de nove anos vive num equilíbrio delicado entre tristeza e alegria. Seu mundo é feito de pequenos eventos, dentre os quais a chuva é o mais adorado e misterioso.

 

Dia 26, sexta-feira, 19h, Dois Dias de Psicose

26 - a permanenciaPsicose

(Psycho) de Alfred Hitchcock. EUA. 1960. 109 min. Terror, crime. 14 anos. Com Anthony Perkins, Janet Leigh, Vera Miles.

Secretária impulsivamente rouba dinheiro de um cliente de seu chefe e terá que lidar com as consequências.

 

Dia 27, sábado, 15h, Dois Dias de Psicose

27 - psicosePsicose

(Psycho) de Gus Van Sant. EUA. 1998. 109 min. Terror, crime. 14 anos. Com Vince Vaughn, Anne Heche, Julianne Moore.

Jovem foge com dinheiro de um cliente de seu chefe e se esconde num motel à beira da estrada.

Comentarista: Mauro Pommer – Jornalista pela PUC-MG, Mestre em Filosofia pela UFMG, Doutor em Cinema pela Universidade de Paris 1 – Sorbonne. Lecionou Jornalismo, depois Cinema na UFSC até 2013.

 

Dia 29, segunda-feira, Festival de Cinema Europeu

17h

29 - hannah arendtHannah Arendt

de Margarethe von Trotta. Alemanha. 2012. 112 min. Drama, Biografia. 12 anos.

A história da filósofa e cientista política Hannah Arendt, especificamente sua cobertura sobre o julgamento do oficial nazista Adolf Eichmann na Nova Iorque da década de 50.

19h

29 - belleville babyBelleville Baby

de Mia Engberg. Suécia. 2013. 75 min. Drama. 15 anos.

Um amante do passado liga para uma diretora de cinema e diz a ela que passou vários anos na prisão. Com isso ela se recorda de diversas lembranças, inclusive do dia em que ele desapareceu.

 

Dia 30, terça-feira, Festival de Cinema Europeu

17h

30 - menino na ponteO Menino na Ponte

(Boy on the Bridge) de Petros Charalambous. Chipre. 2016. 85 min. Drama. Sem classificação.

Sócrates, de doze anos, passa os dias em sua bicicleta pelas ruas de sua vila, brincando e atormentando os residentes locais. Sua vida despreocupada chega ao fim quando descobre que sua tia e primo sofrem violência doméstica por parte de seu tio.

19h

30 - panicoPânico

(Panika) de Barbara Zemljič. Eslovênia. 2013. 103 min. Drama, comédia. 15 anos.

Vera, uma quarentona reprimida, entediada e presa em sua rotina, torna-se obcecada com a ideia de que nunca mais vai se apaixonar. Ao ler a sua sorte na borra de uma xícara de café ela descobre que sua vida irá mudar repentinamente.

 

Dia 31, quarta-feira, Festival de Cinema Europeu

17h

31 - tigres na cidadeTigres na Cidade

(Tigre v meste) de Juraj Krasnohorský. Eslováquia. 2012. 100 min. Comédia, drama. 16 anos.

Uma tentativa de retratar aqueles que estão na faixa dos trinta anos e começam a ver a vida de uma forma séria.

 

 

19h

31 - marie kroyerMarie Krøyer

de Bille August. Dinamarca. 2012. 103 min. Drama, romance.

Marie Krøyer foi pintora, casada com o também pintor dinamarquês P.S. Krøyer. No auge do seu casamento, a doença mental dele fica cada vez mais grave e Marie tem de se dividir entre os cuidados com a família e a arte.

 

Abril

Cabeçalho para site

 

ICONOGRAFIA 344

Abertura 30 de março, visitação até 01 de junho, de segunda a sexta-feira, das 12h às 19h.

Visitação até 01 de junho, de segunda a sexta-feira, das 12h às 19h.

Coleções particulares que têm como tema a Vila de Nossa Senhora de Desterro e a atual Florianópolis serão expostas pela primeira vez, sob curadoria Ylmar Corrêa Neto. Uma centena de raras pinturas, aquarelas, desenhos, gravuras, mapas e livros originais dos séculos XVI a XX mostram Florianópolis e seus arredores permitirão apreciar a evolução da cidade, seus habitantes, fauna e flora e limites. Uma seleção de obras de artistas conceituais contemporâneos fará o contra-ponto do olhar atual. Desde 2015, pela Lei 9.861/15, a contagem do aniversário da cidade passou a ser feita a partir de 1673, ano da chegada de Francisco Dias Velho, assim em 2017 comemoramos 344 anos, logo Iconografia 344.

Médicos Sem Fronteiras – Palestra e exibições

Dia 25, a partir das 16h

Divulgando o trabalho da Médicos Sem Fronteiras, a Fundação recebe Renato Souza, profissional de campo da organização. Médicos Sem Fronteiras é uma organização humanitária internacional que leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por conflitos armados, desastres naturais, epidemias, desnutrição ou sem nenhum acesso à assistência médica. Oferece ajuda exclusivamente com base na necessidade das populações atendidas, sem discriminação de raça, religião ou convicção política e de forma independente de poderes políticos e econômicos. Será exibido o documentário MSF (Un)limited, seguido de palestra proferida por Renato. A programação continua às 19h no Cineclube com a exibição do filme Fogo nas Veias, um documentário que trata da falta de acesso a medicamentos contra a Aids na África, devido aos altos valores impostos pela indústria farmacêutica.

 

CINEMA

 

Estreia: A Pegada

Dia 3, segunda-feira, às 19h

O filme que une música, ação e drama busca atrair o público jovem para debater a participação efetiva de jovens e mulheres em ações efetivas de mudança. Realizado pelo Coletivo Filmes, o curta partiu da música “A Pegada”, da artista Mc Gra, e está integrado a projetos sociais nas comunidades de S. José do Rio Preto (SP). Após a sessão, Mc Gra estará presente para debate com o público.

 

As Diretoras Apresentam: “Mães” e “Super”

Dia 20, quinta-feira, às 19h

Duas produções seriadas realizadas em Florianópolis terão seus episódios pilotos apresentados no cineclube da Fundação. A websérie Super, dirigida por Lara Koer, apresenta quatro garotas que descobrem que têm superpoderes; a série documental Mães, de Daniela Geisler e Tamar Georg, mostra o lado não discutido sobre a maternidade. Nas produções, revela-se que as mulheres não estão sozinhas em suas questões. Como de costume, as realizadoras estarão presentes para debate com o público após a sessão.

 

Estreia: O Casamento de Clarice e Bataille

Dia 24, segunda-feira, às 19h

O filme de Aline Dias e Julia Amaral parte do desejo de aproximação conceitual/ ficcional entre os escritores Clarice Lispector e Georges Bataille. Sem encontros, o filme complexifica o termo que o intitula: o casamento, que aqui excede o contrato social, amoroso ou físico e é pensado como experiência literária compartilhada. O filme transita nos contextos de vídeo-arte, cinema e literatura, realizado com recursos do Prêmio Catarinense de Artes Visuais – Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, promovido pela Fundação Catarinense de Cultura, desenvolvido a partir de roteiro premiado pelo Edital da Cinemateca Catarinense (2012).

 

Cinema ao Vivo –  Sergei Eisenstein

Dia 27, quinta-feira, às 19h

Eisenstein é geralmente ensinado a partir dos livros bem comportados de História do Cinema, delegando para ele o espacinho delimitado como “montagem soviética”. Essas leituras se propõem a revelar os significados daquilo que Eisenstein tentou dizer nas composições de seus filmes, aproximando ou desviando do discurso ideológico do partido comunista. Nessa exibição, o mestrando Rafael Coelho buscará ler Eisenstein de um lugar diferente, no contato pungente com o filme “O Velho e o Novo”.

O filme será apresentado com trilha sonora executada ao vivo no piano pelo professor Luiz Felipe Soares. Será um trabalho de colagem de fragmentos feito em parte com base em pressupostos da pesquisa que vem desenvolvendo desde que fez seu estágio pós-doutoral sobre Eisenstein em 2015.

 

CINECLUBE

Dia 3, segunda-feira, 19h, Estreia

03 - pegadaA Pegada

de Coletivo Filmes. Brasil. 2017. 8 min. Livre. Ação, drama. Com Mc Gra, Eliane Dias e Roberta Estrela D’Alva.

Grupo de mulheres se une para acabar com um esquema de exploração infantil e salvar o projeto social de sua comunidade.

Haverá debate com a artista Mc Gra.

 

Dia 4, terça-feira, 19h, Imagens do Desejo

4 - abrigoO Abrigo

(Take Shelter) de Jeff Nichols. EUA. 2011. 121 min. Drama. 12 anos. Com Michael Shannon, Jessica Chastain, Tova Stewart.

Homem que vive em pequena cidade de Ohio, onde é fácil perceber uma tempestade chegando, começa a ser atormentado por uma série de visões apocalípticas e não sabe se deve proteger sua família daquilo que se aproxima ou dele mesmo.

Comentarista: Alana D. Fantin, psicóloga e psicanalista, mestre em psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde realizou pesquisa sobre a temática da clínica psicanalítica da psicose.

 

Dia 5, quarta-feira, 19h, Art 7


5 - face ocultaA Face Oculta

(One Eyed Jacks) de Marlon Brando. EUA. 1961. 141min. Drama. Sem classificação. Com Marlon Brando, Karl Malden, Slim Pickens

Rio é um líder de uma quadrilha de ladrões. O seu mentor, Dad Longworth, o trai e ele decide se vingar. Mas tudo pode dar errado, pois Rio se apaixona pela enteada de Dad.

 

Dia 6, quinta-feira, 19h, Cine Imagens Políticas

6poptransPoptrans

(Webdocumentário Poptrans) de Renato Oliveira. Brasil. 2017. 40 min. Documentário. Livre. Com Eric Seger, Gloria Crystal, Cristiany Beatriz.

Seis pessoas trans e travestis relatam suas experiências, a relação com a transformação em seu corpo e o enfrentamento ao preconceito.

Comentaristas: Lirous K´yo Fonseca Ávila, presidente da ADEH e artista; Christian Mariano, ACONTECE Arte e Política LGBT, educador socioambiental; Mediação: Renato Acosta, ETC e Coletivo Peabiru Teatro.

 

Dia 7, sexta-feira, 19h, Sessão Divã

7 - três homens noite friaTrês Homens e uma Noite Fria

(Kolme Viisasta Miestä) de Mika Kaurismäki. Finlândia. 2008. 110 min. Drama. 12 anos. Com Irina Björklund, Kari Heiskanen, Pertti Sveholm.

Longe de suas famílias, três amigos se reúnem num bar para afogar as mágoas em plena véspera de Natal.

Comentarista: Michele Brofman, psicóloga, membro do Fórum do Campo Lacaniano de Florianópolis (em formação).

 

Dia 10, segunda-feira, 19h, Foco em Cinema

10 - um punhado de bravosUm Punhado de Bravos

(Objective, Burma!) de Raoul Walsh. EUA. 1945. 142 min. Guerra, drama. 12 anos. Com Errol Flynn, James Brown, William Prince.

Tropa de paraquedistas americanos é designada para destruir base japonesa no sul da ásia. O ataque é um sucesso, mas retornar para casa se revela um missão mais difícil.

Comentarista: Bruno Andrade, Crítico e pesquisador. Colaborou para publicações nacionais e internacionais, em mídia impressa e online. Editor da Foco – Revista de Cinema.

 

Dia 11, terça-feira, 19h, Foco em Cinema

11 - amargo reencontroAmargo Reencontro

(Big Wednesday) de John Millius. EUA. 1978. 120 min. Drama. Sem classificação. Com Jan-Michael Vincent, William Katt, Gary Busey.

A vida de três amigo surfistas ao longo da década de 60 e começo de 70, passando pelos suas amizades, relacionamentos e o impacto da Guerra do Vietnã.

Comentarista: Bruno Andrade, Crítico e pesquisador. Colaborou para publicações nacionais e internacionais, em mídia impressa e online. Editor da Foco – Revista de Cinema.

 

Dia 12, quarta-feira, 19h, Art 7

12 - pagador de promessasO Pagador de Promessas

de Anselmo Duarte. Brasil. 1962. 97min. Drama. Sem classificação. Com Leonardo Villar, Glória Menezes, Dionísio Azevedo

Zé do Burro é um homem humilde que enfrenta a intransigência da Igreja ao tentar cumprir a promessa feita em um terreiro de candomblé de carregar uma pesada cruz de madeira por um longo percurso.

 

Dia 13, quinta-feira, 19h, Cine Aliança Francesa

13Ascensor para o Cadafalso

(Ascenseur pour l’échafaud) de Louis Malle. França. 1958. 91 min. Drama, Crime. Sem classificação. Com Jeanne Moreau, Maurice Ronet, Georges Poujouly.

Homem leva a cabo o assassinato de seu chefe com a ajuda da esposa dele, que é também sua amante. Ao retornar ao local do crime para buscar um objeto esquecido, ele fica preso no elevador do prédio.

 

Dia 17, segunda-feira, 19h, Cine Africano

17 - bye bye Áfrca.Bye Bye Africa

de Mahamet-Saleh Haroun. Chade. 1998. 86 min. Documentário, drama. 16 anos. Com Aïcha Yelena, Garba Issa, Mahamet-Saleh Haroun.

Após a morte de sua mãe, cineasta que mora na França retorna para o Chade e se choca com o estado lamentável em que seu país se encontra, assim como sua indústria cinematográfica. Decide, então, dirigir um filme em homenagem à sua mãe, “Bye Bye Africa”.

 

Dia 18, terça-feira, 19h, Os Fundamentos da Democracia


18 - a mocidade de lincolnA Mocidade de Lincoln

(Young Mr. Lincoln) de John Ford. EUA. 1939. 100 min. Drama, biografia. Sem classificação. Com Henry Fonda, Alice Brady, Marjorie Weaver.

A juventude de Abraham Lincoln enquanto atuava como advogado, no momento em que enfrenta um difícil caso.

 

Dia 19, quarta-feira, 19h, Art 7

19Ouro de Nápoles

(L’Oro di Napoli) de Vittorio De Sica. Itália. 1954. 131 min. Comédia. Sem classificação. Com Silvana Mangano, Totó, Sophia Loren

Seis histórias incomuns descrevem um pouco a cidade de Nápoles.

 

Dia 20, quinta-feira, 19h, As Diretoras Apresentam

20 - mãesMães – A boa mãe (Episódio 1)
de Daniela Geisler e Tamar Georg Bender. Brasil. 2016. 28min. Documentário. Livre. Com Flora Bazzo,  Natália Pinheiro e Patrícia Azzolini.
Através de um mergulho na experiência de diversas mulheres, a série MÃES questiona a romantização da maternidade.  

20 - SUPERSuper

De Lara Koer e Leonardo Gatt. Brasil. 2017. 18min. Ação, Comédia.12 anos. Com Giulia Pamina, T. Alvez, Bubah Machado e Bárbara Martins.

SUPER é uma micro-websérie que narra a trajetória de jovens mulheres que descobrem ter poderes e que não estão sozinhas.

Haverá debate com a presença das realizadoras: Daniela Geisler, formada em Cinema pela UFSC, dirigiu dois curtas de ficção vencedores de editais; Tamar Bender, formada em Cinema pela UFSC, trabalhou como editora na microssérie da RBS Joinville do Alto; Lara Koer, Maria Fernanda Bin, Carol Mariga e Viviane Mayumi, criadoras da websérie SUPER e sócias na produtora cultural Calamavina Movimento Criativo.

 

Dia 24, segunda-feira, 19h, Estreia

24 - clarice batailleO casamento de Clarice e Bataille

de Aline Dias e Julia Amaral. Brasil. 2017. 58 min. Ficção. Livre. Com Jo Willerding e Emil Blisset

O cotidiano cuidadosamente construído de um casal é atravessado por elementos dissonantes, explorando os silêncios e (não)encontros no plano fílmico.

Haverá debate com as realizadoras: Aline Dias, artista e pesquisadora, professora adjunta da UFES; Julia Amaral, artista e professora substituta da UDESC.

 

Dia 25, terça-feira, 19h, Médicos sem Fronteiras


25 - fogo nas veiasFogo nas Veias

(Fire in the Blood) de Dylan Mohan Gray. Índia. 2012. 84 min. Documentário. Sem classificação. Com William Hurt, Zackie Achmat, Edwin Cameron.

Em 1996, o surgimento dos medicamentos antirretrovirais mudou radicalmente a perspectiva das pessoas com o vírus da aids. Para milhões de doentes na África, no entanto, esses medicamentos continuaram fora de alcance devido aos altos valores impostos pela indústria farmacêutica. Bill Clinton e Desmond Tutu, entre outros entrevistados, mostram como se deu a luta para superar o monopólio criado pela indústria de remédios.

Comentarista: Renato Souza, formado em Enfermagem e Obstetrícia, trabalhou com Médicos Sem Fronteiras em 13 ocasiões, em países como Moçambique e Sudão do Sul, entre outros.

 

Dia 26, quarta-feira, 19h, Art 7

26 - perversa paixãoPerversa Paixão

(Play Misty for Me) de Clint Eastwood. EUA. 1971. 102min. Suspense. Sem classificação. Com Clint Eastwood, Jessica Walter, Donna Mills

Homem começa a ser perseguido por mulher psicótica com quem teve um rápido caso numa noite.

 

Dia 27, quinta-feira, 19h, Cinema ao Vivo

27 - velho e novoVelho e Novo

(Staroye i Novoye) de Sergei Eisenstein. URSS. 1929. 131 min. Drama. Sem classificação. Com Marfa Lapkina, M. Ivanin, Konstantin Vasilyev.

Camponesa pobre e sem recursos transforma o modo de plantação em suas terras e nas de seus vizinhos através da agricultura cooperativa, revolucionando a produção e as vidas nessas fazendas.

Comentarista: Rafael N. Coelho, graduado em Cinema (UFSC), sua pesquisa de mestrado em Literatura (UFSC) é sobre a imagem e a montagem, estudando principalmente Eisenstein.

Músico convidado: Luiz Felipe G. Soares é professor do Curso de Graduação em Cinema e do Programa de Pós-Graduação em Literatura da UFSC.

 

Dia 28, sexta-feira, 19h, Psicanálise Vai ao Cinema

28 - tudo sobre mãeTudo sobre minha mãe

(Todo sobre mi madre) de Pedro Almodóvar. Espanha, França. 1999. 101min. Drama. 14 anos. Com Cecilia Roth, Marisa Paredes, Penélope Cruz.

Manuela, Rosa, Huma e Agrado apresentam arranjos familiares não tradicionais atravessados pelo acaso e pelo amor, próprios do encontro.

 

Março

16831926_1208697162582359_7026075351475829689_n

 

 

 

 

 

 

RECITAL EM HOMENAGEM A PAULO GAIAD

Dia 21, terça-feira, às 19h

A Fundação convida amigos e admiradores de Paulo Gaiad para lembrar do grande artista falecido em dezembro. Sua última exposição, Impossibilias: Arquivo e Memória em Paulo Gaiad, ocupou todos os espaços da casa entre o final de 2015 e começo de 2016. A noite de homenagem contará com música, poesia e depoimentos em memória de sua vida e seu trabalho.

 

A Fundação convida amigos e admiradores de Paulo Gaiad para lembrar do grande artista falecido em dezembro. Sua última exposição, Impossibilias: Arquivo e Memória em Paulo Gaiad, ocupou todos os espaços da casa entre o final de 2015 e começo de 2016. A noite de homenagem contará com música, poesia e depoimentos em memória de sua vida e seu trabalho e terá a exibição da obra Paulo Gaiad da série Vestimentas em nós, concluída em 2017, resultado de processo artístico entre os artistas Paulo Gaiad e Franzoi.

 

CINEMA

Art 7 – Fritz Lang

Todas as quartas-feiras, às 19h

A carreira de Fritz Lang é definida pelos dois locais onde o cineasta filmou. Primeiro a Alemanha, onde foi pioneiro dos filmes expressionistas e produziu duas obras essenciais para o movimento; depois Hollywood, onde aterrissou após fugir dos nazistas e aprimorou suas técnicas do uso de sombras. Sua mistura de expressionismo alemão com histórias de detetives americanas deu origem ao que conhecemos hoje como filme noir.

 

Mostra Mestres Japoneses

Dias 3, 6 e 7, às 19h

Os últimos filmes de três mestres: Mikio Naruse, Yasujiro Ozu e Kenji Mizoguichi. Os títulos mostram uma etapa na vida desses artistas, tão diferentes entre si, na qual sua arte atingiu um nível de inteligência cênica, depuração estética, e serenidade no olhar poucas vezes igualada.

 

Sessão Catarina – Caim e Abel

Dia 16, às 19h

Filme a partir da passagem de Caim e Abel, em Gênesis, em que o irmão mais velho, Caim, interpela Abel sobre o porquê da necessidade de ofertar. O roteiro dilata uma pequena passagem da bíblia, criando um recorte exegético para além da interpretação eclesiástica tradicional.

 

Sessão Curtas – Quando os Diretores Vão à Guerra!

Dia 21, às 19h

Três pequenos filmes trazem três interesses diferentes sobre a Segunda Guerra Mundial: um curta de Alfred Hitchcock aborda o impacto psicológico e emocional dos confrontos, uma animação de Walt Disney mostra o pesadelo do nazismo e um documentário de John Ford apresenta uma das batalhas mais decisivas do conflito.

 

Estreia – Atingidos Somos Nós

Dia 27, segunda-feira, às 19h

O documentário, fruto da tese de doutorado da psicóloga Carmem Giongo, mostra os impactos socioambientais produzidos pela construção da Hidrelétrica de Itá, entre a cidade de Aratiba (RS) e Itá (SC). Nesta produção, o foco são as narrativas dos agricultores que permaneceram no entorno do reservatório após a construção da obra, que vivem em condições muito precárias e presenciam o desaparecimento de suas comunidades.

 

Foco em Cinema – A Voz da História – DeMille encontra Straub-Huillet

Dias 13 e 14, às 19h

Os dois filmes da Sessão Foco em Cinema de março apropriam-se do mito para integrá-lo à realidade dos homens.  Em Sansão e Dalila vemos a ousadia do homem que se atreve a encarnar a força dos deuses; já Da Nuvem à Resistência propõe um modo de representação que coloca homens e deuses no mesmo plano. Da invenção dos deuses pelos homens (é isto o que o filme de Jean-Marie Straub e Danièle Huillet propõe) à aniquilação dos homens pelos deuses (segundo Cecil B. DeMille), a relação entre esses dois filmes conduz menos a uma oposição que a uma verdadeira complementaridade dialética.

 

CINECLUBE

Dia 1, quarta-feira, 19h, Art 7

1 - a morte cansadaA Morte Cansada

(Der müde Tod) de Fritz Lang. Alemanha. 1921. 105min. Drama/Fantasia. Sem classificação. Com  Lil Dagover, Bernhard Goetzke, Rudolf Klein-Rogge.

Vidas humanas são representadas por uma vela, a Morte dá a uma mulher três chances de salvar seu amado e provar que o amor realmente triunfa sobre a morte.

 

Dia 2, quinta-feira, 19h, Cine Africano

Delwende, lve-toi et marche Delwende 2005 Real : S.Pierre Yameogo Blandine Yameogo COLLECTION CHRISTOPHEL

Delwende, lve-toi et marche
Delwende
2005
Real : S.Pierre Yameogo
Blandine Yameogo
COLLECTION CHRISTOPHEL

Levante-se e Ande

(Delwende) de S. Pierre Yameogo. Burkina Faso, França. 2005. 96min. Drama. 16 anos. Com Blandine Yaméogo, Claire Ilboudo e Célestin Zongo.

O que era um surto de meningite, que trouxe a morte a muitas pessoas de uma aldeia, transforma-se literalmente numa caça às bruxas. De acordo com as tradições, um “siongho” apontará quem é o culpado, ou quase sempre culpada, pela desgraça que ocorre.

 

 

Dia 3, sexta feira, 19h, Mestres Japoneses

3 - nuvens dispersas

Nuvens Dispersas

(Midaregumo) de Mikio Naruse. Japão. 1967. 108 min. Drama. Sem classificação. Com Yûzô Kayama, Yôko Tsukasa, Mitsuko Kusabue.

De volta ao Japão após a 2ª Guerra, mulher retoma o romance que teve com um homem que conheceu na Indochina. Entretanto, agora ele tem uma esposa que não está disposto a abandonar.

 

Dia 6, segunda-feira, 19h, Mestres Japoneses

06 - rotina tem seu encantoA Rotina Tem seu Encanto

(Sanma no aji) de Yasujiro Ozu. Japão. 1962. 112 min. Drama. Sem clasificação. Com Chishû Ryû, Shima Iwashita, Keiji Sada.

Viúvo de meia-idade buscar arranjar o casamento de sua filha mais velha para que ela não precise ficar cuidando dele.

 

Dia 7, terça feira, 19h, Mestres Japoneses

7 - a rotina tem seu encantoA Rua da Vergonha

(Akasen chitai) de Kenji Mizoguchi. Japão. 1956. 87 min. Drama. Sem classificação. Com Machiko Kyô, Aiko Mimasu, Ayako Wakao.

As histórias, sonhos e dramas  de cinco prostitutas de um bordel em Tóquio, enquanto o governo japonês discute a criminalização da prostituição.

 

Dia 8, quarta-feira, 19h, Art7

8 - mM – O Vampiro de Düsseldorf

(M – Eine Stadt sucht einen Mörder) de Fritz Lang. Alemanha. 1931. 117min. Suspense. Sem classificação. Com Peter Lorre, Otto Wernicke, Gustaf Gründgens.

Marginais de uma cidade alemã se unem para caçar um assassino de crianças procurado pela polícia. Capturado, ele é julgado por um tribunal de criminosos e acusado de ter quebrado a ética do submundo.

 

Dia 9, quinta-feira, 19h, Cine Imagens Políticas

9 - limiaresLimiares: com Anderson João Gonçalves

de Sandra Meyer. Brasil. 2013. 56 min. Documentário. 12 anos. Com Anderson João Gonçalves.

A visão de mundo e experiências de Anderson (1964-2010) por meio de uma narrativa conduzida pelo próprio artista em último depoimento. Por meio de um discurso falado e dançado, ora delicado, ora contundente, o bailarino revela sua inventividade.

Comentaristas: Sandra Meyer – professora da UDESC e bailarina; Lucas Viapiana – Coletivo Imagens Políticas.

 

 

 

Dia 10, sexta-feira, 19h, Sessão Divã

10 - stellaStella

De Sylvie Verheyde. França. 2008. 103min. Comédia dramática. 16 anos. Com Karole Rocher, Benjamin Biolay e Guillaume Depardieu.

Stella é uma jovem de 11 anos, recém admitida em uma famosa escola da cidade, onde conhece Gladys, filha de um judeu intelectual. Essa amizade a fará conhecer um mundo novo.

Comentaristas: Michele  Olinger Brofman e Leojorge Panegalli da Rocha, psicanalistas membros do Fórum do Campo Lacaniano de Florianópolis (em formação)

 

Dia 13, segunda-feira, 19h, Foco em Cinema

13 - da nuvem a resistenciaDa Nuvem à Resistência

(Dalla Nube Alla Resistenza) de Jean Marie Straub e Danièle Huillet. Itália, Alemanha Ocidental, Reino Unido, França. 1977. 104min. Drama. Sem classificação. Com Olimpia Carlisi, Guido Lombardi e Gino Felici.

Filme em duas partes, as duas adaptadas de textos de Cesare Pavese, uma, sobre mitologia, e a outra sobre o retorno à casa após a segunda guerra mundial.

Comentarista: Bruno Andrade, Crítico e pesquisador. Colaborou para publicações nacionais e internacionais, em mídia impressa e online. Editor da Foco – Revista de Cinema.

 

Dia 14, terça-feira, 19h, Foco em Cinema

dalilaSansão e Dalila

(Sanson and Delilah) de Cecil B. DeMille. EUA. 1949. 131min. Drama. Livre. Com Victor Mature, Hedy Lamarr e George Sanders.

Rejeitada por Sansão, homem mais forte do mundo, a bela Dalila jura vingança, com consequências desastrosas para ambos.

Comentarista: Bruno Andrade, Crítico e pesquisador. Colaborou para publicações nacionais e internacionais, em mídia impressa e online. Editor da Foco – Revista de Cinema.

Dia 15, quarta-feira, 19h, Art 7

15 - almas perversasAlmas Perversas

(Scarlet Street) de Fritz Lang. EUA. 1945. 103min. Drama. Sem classificação. Com Edward G. Robinson, Joan Bennett, Dan Duryea.

Um homem na crise da meia idade se aproxima de uma mulher mais nova, e o noivo dela a convence a enganá-lo de forma que ambos consigam um pouco da suposta fortuna dele.

 

Dia 16, quinta feira, 19h, Sessão Catarina


16 - caim e abelCaim e Abel

De Guilherme Pozzibon. Brasil. 2016. 79 min. Ficção. Livre. Com Diogo Vaz e Oto Henrique Pinto.

Gen, 4:8 E falou Caim com Abel, o seu irmão/E enquanto estavam no campo/Ergueu-se Caim sobre Abel, o seu irmão/e o matou.

Haverá debate com a presença dos realizadores.

 

Dia 17, sexta-feira, 19h, Psicanálise Vai ao Cinema

17 - eu matei minha maeEu Matei Minha Mãe

(J’ai tué ma mère) de Xavier Dolan. Canadá. 2010. 100min. Drama. 14 anos. Com Xavier Dolan, Anne Dorval e Suzanne Clément.

Marcado pelos afetos ambivalentes que nutre por sua mãe, Hubert, de 17 anos, experimenta os impasses da adolescência.

Comentarista: Renata Dabori, psicanalista e participante da EBP/SC.

Dia 20, segunda feira, 19h, Cine Aliança Francesa

20 - obrigado patraoObrigado, Patrão!

(Merci patron!) de François Ruffin. França. 2016. 93 min. Documentário. Livre.

Casal perde o emprego quando a fábrica em que trabalham se muda para a Polônia. Endividados, correm o risco de perder sua casa, mas quando o fundador do jornal Fakir bate em sua porta, a esperança da salvação surge

 

Dia 21, terça feira, 19h, Sessão Curtas

Quando os Diretores Vão à Guerra!

bon voyageBon Voyage

De Alfred Hitchcock. Reino Unido. 1944. 26min. Guerra. Sem classificação. Com John Blythe.

Oficial da RAF narra como conseguiu escapar das linhas inimigas.

 

 

 

a cara do fuherA face do Führer

(Der fuehrer’s face) de Jack Kinney. EUA. 1943. Animação. 8min. Sem classificação. Com Clerence Nash.

Pato Donald é um cidadão ativo na Alemanha nazista: será que ele enlouqueceu?

 

batalha de midwayA batalha de Midway

(The battle of Midway) de John Ford. EUA. 1942. 18min. Documentário. Sem classificação.

O ataque japonês em Midway, filmado enquanto ocorria.  

 

 

 

Dia 22, quarta-feira, 19h, Art 7

22 - maldiçaoMaldição

(House by the River) de Fritz Lang. EUA. 1950. 98min. Suspense. Sem classificação. Com Louis Hayward, Jane Wyatt, Lee Bowman.

Escritor fracassado tenta seduzir a empregada da família e a estrangula depois de ela o ter rejeitado. Para se livrar do crime, tentará envolver o irmão para encobrir o crime e construir seu álibi.

 

Dia 24, sexta-feira, 19h, Cinema, Chá e Cultura


24- as horas
As Horas

(The Hours) de Stephen Daldry. Inglaterra, EUA. 2002. 114 min. Drama. 16 anos. Com Nicole Kidman, Julianne Moore, Meryl Streep.

Três mulheres em diferentes épocas têm suas vidas conectadas de alguma forma através do livro Mrs Dalloway.

Comentarista: Leon de Paula, Doutor em teatro, também atua como diretor e, desde 1997, é ator da companhia “Teatro, Sim… Por Quê Não?”.

 

Dia 27, segunda-feira, 19h, Estreia

27 - atingidos somos nósAtingidos Somos Nós

de Carmem Regina Giongo. Brasil. 2017. 38 min. Documentário. Livre.

As histórias de vida e os impactos socioambientais produzidos pela construção da Hidrelétrica de Itá, entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A hidrelétrica entrou em operação em 2000 e atingiu cerca de 3500 famílias, das quais muitas foram reassentadas, mas grande parte permaneceu nas comunidades rurais atingidas.

Haverá debate com a presença da diretora Carmem Regina Giongo, psicóloga, mestre em psicologia, doutora em psicologia social e institucional, professora na universidade Feevale e pesquisadora do Núcleo de Estudos em Saúde e Trabalho (NEST) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

 

Dia 28, terça-feira, 19h, CineSesc

28 - jornada ao oesteJornada ao Oeste

(Xi You) de Ming-Liang Tsai. França. 2014. 56 min. Drama. Livre. Com Kang-Sheng Lee, Denis Lavant.

Retoma o personagem apresentado do filme “Walker”, um monge budista que caminha extremamente devagar em meditação pelas ruas de Marselha. Em certo momento, um seguidor começa a acompanhá-lo.

 

Dia 29, quarta-feira, 19h, Art 7

29 - os corruptosOs Corruptos

(The Big Heat) de Fritz Lang. EUA. 1953. 89min. Suspense. Sem classificação. Com Glenn Ford, Gloria Grahame, Lee Marvin.

O suicídio de um colega coloca o sargento Bannion num caso de corrupção que ameaça sua carreira e a segurança dele e de sua família: sua esposa e uma filha pequena.

 

Dia 30, quinta-feira, 19h, ABERTURA DE EXPOSIÇÃO

Não haverá sessão no cineclube.

 

Dia 31, sexta-feira, 19h, O Filme que Eu Gostaria de Ter Feito

31 - a hora da estrelaA Hora da Estrela

de Suzana Amaral. Brasil. 1985. 96 min. Drama. 12 anos. Com Marcélia Cartaxo, José Dumont, Tamara Taxman.

Jovem nordestina se muda para a cidade grande, onde vive uma vida sem entusiasmo trabalhando como datilógrafa. Um relacionamento com outro migrante do interior muda o seu cotidiano, mas o romance não dura muito tempo.

Comentarista: Alessandra Brandão – professora do curso de cinema da UFSC e vice-presidente da Socine – Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual.

 

Fevereiro

Capa site

 

Schwanke, habitar os incorporais

Abertura em 01 de dezembro, quinta-feira, às 19h.  

Visitação até 16 de março de 2017, de segunda a sexta-feira, das 12h às 19h.

Luiz Henrique Schwanke (Joinville, SC 1951 – 1992) depura diferentes referências artísticas em sua produção. Entretanto, não se trata de um procedimento polarizado, mas de uma travessia incessante, uma vez que, aquilo que deveria ser despersonalizado e banido de emoção pelo recurso de materiais industriais, cria constantes tangências com o universo orgânico, o erotismo e a densidade trágica.

Os estóicos chamavam de incorporal tudo aquilo que não podia ser medido ou pesado, quantificado ou que ocupasse lugar. Na mais imensa vastidão do espaço e no mais diminuto instante, no mais íntimo e na mais obscura exterioridade, no mais pulsante e renitente, no que sempre volta e no que sempre escapa, era lá que ele estava.

Tal entendimento se reafirma num texto em que Schwanke considera: Não quero nada com a visualidade, quero o exercício dos sentidos com a imaginação. Nesta dimensão não apenas insere suas investigações e experimentações, mas também se reconhece como parte de uma unidade móvel capaz de acionar um fluxo entre o pensamento e o artista, o artista e a obra, a obra e o espectador, o espectador e o pensamento.

Essa exposição é uma parceria entre Fundação Cultural Badesc e Instituto MAC Schwanke, sob curadoria de Rosângela Cherem.

 

EDITAL de exposições 2017

Inscrições até 10 de fevereiro de 2017.

Estão abertas as inscrições para o edital de exposições do Espaço Fernando Beck e do Espaço 2, que vão selecionar projetos para 2017. O regulamento pode ser obtido em www.fundacaoculturalbadesc.com ou retirado na Casa.

 

CINEMA

Mostra Cinema Brasileiro Antes e Depois

Dias 9, 10, 16, 17, 23 e 24, às 19h.

Retomando o projeto da mostra Cinema Brasileiro Agora, realizada em 2016 no Cineclube, o evento tem por objetivo de dar visibilidade às realizações brasileiras, oportunizando ao público conhecê-las e discuti-las. Nesta edição, as produções recentes estão em paralelo com títulos mais antigos, formando um panorama mais amplo.

 

Sessão Catarina: Estreia – Ilhados

Dia 14, às 19h.

O documentário de Michele de Mello trata das relações políticas entre Cuba e EUA abordando três momentos históricos: 1962, quando foi decretado o bloqueio econômico; 1993, ano da despenalização do uso do dólar para cidadãos cubanos; e 17 de dezembro de 2014, data do restabelecimento de relações diplomáticas entre os dois países.

 

CINECLUBE

Dia 1, quarta-feira, 19h, Art 7

1 - boa noite boa sorteBoa Noite e Boa Sorte

(Good Night, and Good Luck) de George Clooney. EUA. 2006. 93min. Drama, Histórico. Sem classificação. Com David Strathairn, George Clooney e Robert Downey Jr. Ciclo: Imprensa

Âncora de TV, em plena era do macarthismo, luta para mostrar em seu jornal os dois lados da questão. Ele revela as táticas e mentiras usadas por Joseph McCarthy em sua caça aos supostos comunistas, iniciando um confronto público que trará consequências à recém-implantada TV nos Estados Unidos.

 

Dia 2, quinta-feira, 19h, Cine Aliança Francesa

2 - bodybuilderBodybuilder

de Roschdy Zem. França. 2014. 100 min. Drama. Livre. Com Marina Foïs, Vincent Rottiers e Yolin François Gauvin.

Jovem envolvido em pequenas gangues, após entrar em conflito com o chefe de uma destas, é obrigado a fugir. Ele vai para a casa de seu pai, um fisiculturista com quem não tem contato algum há muitos anos.

 

Dia 3, sexta-feira, 19h,

3 - meu amigo totoroMeu Amigo Totoro

(Tonari no Totoro) de Hayao Miyazaki. Japão. 1988. Animação. Livre. Com Hitoshi Takagi, Noriko Hidaka, Chika Sakamoto.

Quando duas irmãs se mudam para uma casa de campo com seu pai, a última coisa que elas esperavam era que a floresta em torno fosse habitada por criaturas mágicas, entre elas, o amigável e fofo Totoro.

 

Dia 6, segunda-feira, 19h, Vida de Artista

6 - a ponte das artesA Ponte das Artes

(Le Pont des Arts) de Eugène Green. França. 2004. 126 min. Drama. Sem classificação. Com Adrien Michaux, Natacha Régnier e Alexis Loret.

A vida de dois personagens se cruza de maneira enviesada: uma cantora lírica talentosa entra em crise ao sofrer constantes críticas do maestro do seu grupo musical; enquanto isso, um estudante de filosofia perde cada vez mais o interesse pelo seu objeto de estudo e busca apenas o prazer da música e da literatura.

 

Dia 7, terça-feira, 19h, CineSesc

7 - caverna dos sonhos esquecidosA Caverna dos Sonhos Esquecidos

(Cave of Forgotten Dreams) de Werner Herzog. Canadá, EUA, França, Alemanha, Reino Unido. 2010. 90 min. Documentário. Livre. Com Werner Herzog, Jean Clottes e Julien Monney.

A Caverna de Chauvet, sul da França, reúne as mais antigas criações pictóricas da humanidade. O diretor obteve acesso exclusivo para filmar dentro da caverna e revelar pinturas intocadas, suscitando questões sobre a humanidade e seu desejo de comunicação.

 

Dia 8, quarta-feira, 19h, Art 7

8 - embriaguez do sucessoA Embriaguez do Sucesso

(Sweet Smell Of Success) de Alexander Mackendrick. EUA. 1957. 96min. Drama. 12 anos. Com Burt Lancaster, Tony Curtis e Martin Milner. Ciclo: Imprensa

Influente colunista de Nova York deseja impedir o casamento de sua irmã com um músico. Para isso, convence um inescrupuloso assessor de imprensa a destruir o relacionamento da jovem.

 

Dia 9, quinta-feira, 19h, Cinema Brasileiro Antes e Depois

9 - serras da desordemSerras da Desordem

De Andrea Tonacci. Brasil. 2006. 135 min. Documentário. 12 anos.

Mistura de documentário e reencenação da vida de Carapirú, índio nômade que escapa de um ataque de fazendeiros nos anos 70. Depois de andar sozinho por anos, é capturado a 2 mil quilômetros de seu ponto de partida e vira centro de uma polêmica entre antropólogos e linguistas quanto a sua origem e identidade.

 

Dia 10, sexta-feira, 19h, Cinema Brasileiro Antes e Depois

10 - cabra marcadoCabra Marcado pra Morrer

de Eduardo Coutinho. Brasil. 1984. 119 min. Documentário. 12 anos. Com Eduardo Coutinho, Tite de Lemos e Ferreira Gullar.

Reconstrução da vida de João Pedro Teixeira, líder camponês da Paraíba assassinado em 1962, ocasião em que o filme começa a ser feito. Em razão do golpe de 64, as filmagens são interrompidas e retomadas 17 anos depois, com a ajuda da viúva, dos filhos de João e dos camponeses que estavam nas primeiras filmagens.

 

Dia 13, segunda-feira, 19h, Cine Africano

13 - o colar perdido da pombaO Colar Perdido da Pomba

(Tawk al Hamama al Mafkoud) de Nacer Khemir. França, Tunísia. 1991. 87 min. Fantasia. 16 anos. Com Navin Chowdhry, Walid Arakji e Ninar Esber.

Estudante de caligrafia árabe encontra fragmento de manuscrito e sai em busca de peças, acreditando que elas os levarão aos segredos do amor. Ele encontra a Princesa de Samarkand e descobre que uma vida inteira não será suficiente para desvendar as reais dimensões do amor.

 

Dia 14, terça-feira, 19h, Sessão Catarina

14 - ilhadosIlhados: Cuba e Estados Unidos, do Bloqueio à Reaproximação

de Michele de Mello. Cuba, Brasil. 2016. 40 min. Documentário. Livre. Com Jorge Bolaños, Juana Carrasco e Omar Everleny.

Três famílias cubanas contam a história da relação política entre a ilha e os EUA, desde 1962 até a retomada de relações diplomáticas, em 2014.

Haverá debate com a presença da diretora: Michele de Mello – jornalista pela UFSC, estudou jornalismo em Cuba por 6 meses, quando gravou este documentário que foi seu trabalho de conclusão de curso.

 

Dia 15, quarta-feira, 19h, Art 7

15 - profissao reporterProfissão: Repórter

(Professione: reporter) de Michelangelo Antonioni. França, Espanha e Itália. 1975. 125min. Suspense, Drama. Sem classificação. Com Jack Nicholson, Maria Schneider e Jenny Runacre. Ciclo: Imprensa

Jornalista em viagem ao Saara conhece um homem muito parecido com ele que morre repentinamente. Querendo livrar-se dos seus problemas e mudar sua vida, David resolve assumir a identidade do falecido.

 

Dia 16, sexta-feira, 19h, Cinema Brasileiro Antes e Depois

16 - avanti popoloAvanti Popolo

de Michael Warmann. Brasil. 2012. 72 min. Drama. 12 anos. Com André Gatti, Carlos Reichenbach e Eduardo Valente.

Homem encontra uma série de películas Super 8mm, filmadas por seu irmão durante a ditadura militar dos anos 1970. Com estas imagens, ele se lembra das histórias vividas por seu pai, um homem que até hoje espera pelo filho, desaparecido há mais de 30 anos.

 

Dia 17, sexta-feira, 19h, Cinema Brasileiro Antes e Depois

17 - sao paulo saSão Paulo, Sociedade Anônima

de Luis Sérgio Person. Brasil. 1965. 107 min. Drama. 12 anos. Com Walmor Chagas, Eva Wilma e Ana Esmeralda.

No contexto de desenvolvimento econômico graças à indústria de automóveis, jovem aproveita para subir de vida e formar uma família, mas segue permanentemente insatisfeito.

 

Dia 20, segunda-feira, 19h, Foco em Cinema


20 mediterraneo
Mediterrâneo

(Méditerranée) de Jean-Daniel Pollet. França. 1963. 44 min. Filme-ensaio. Sem classificação.

Experimento com texto e imagem: planos soltos pela bacia do Mediterrâneo intercalados com uma narração em forma de comentário, construindo uma conexão entre presente e passado, além de meditações sobre a ação irreversível do tempo.


20 - homem que luta soO Homem que Luta Só

(Ride Lonesome) de Budd Boetticher. EUA. 1959. 73 min. Faroeste. Sem classificação. Com Randolph Scott, Karen Steele e Pernell Roberts.

Caçador de recompensas captura o irmão do chefe de uma quadrilha. Rumando a Santa Cruz, ele cruza com dois fora-da-lei e uma mulher.

Comentarista: Bruno Andrade, Crítico e pesquisador. Colaborou para publicações nacionais e internacionais, em mídia impressa e online. Editor da Foco – Revista de Cinema.

 

Dia 21, terça-feira, 19h, Foco em Cinema

21 bassaeBassae

de Jean-Daniel Pollet. França.1964. 9 min. Filme-ensaio. Sem classificação.

As estruturas de um pequeno templo perdido no meio de um vale acompanhadas por um texto que introduz a ideia da permanência e da eternidade prevalecendo sobre a presença da destruição material e as ruínas do tempo.

 

21 - cavalgada tragicaCavalgada Trágica

(Comanche Station) de Budd Boetticher. EUA.1960. 74 min. Faroeste. Sem classificação. Com Randolph Scott, Nancy Gates e Claude Akins.

Forasteiro resgata uma mulher raptada por índios e leva-a de volta a seu marido. No caminho, eles são abordado por um fora-da-lei que deseja se unir a ele por causa da quantia oferecida como recompensa pelo resgate da mulher.

Comentarista: Bruno Andrade, Crítico e pesquisador. Colaborou para publicações nacionais e internacionais, em mídia impressa e online. Editor da Foco – Revista de Cinema.

 

Dia 22, quarta-feira, 19h, Art 7

22 - a primeira paginaA Primeira Página

(The Front Page) de Billy Wilder. EUA. 1975. 105min. Comédia. Livre. Com Jack Lemmon, Walter Matthau e Susan Sarandon. Ciclo: Imprensa

Quando o principal repórter do jornal de Chicago resolve deixar o trabalho para poder se casar, seu implacável editor-chefe o obriga a cobrir o enforcamento de um assassino. Só que o preso escapa e vai se refugiar justamente na redação do jornal.

 

Dia 23, quinta-feira, 19h, Cinema Brasileiro Antes e Depois

23 - branco sai preto ficaBranco Sai, Preto Fica

de Adirley Queirós. Brasil. 2014. 90 min. Drama. 12 anos. Com Marquim do Tropa, Shockito e Dilmar Durães.

Tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.

 

Dia 24, sexta-feira, 19h, Cinema Brasileiro Antes e Depois

24 - alma corsariaAlma Corsária

de Carlos Reichenbach. Brasil. 1993. 112 min. Drama. 16 anos. Com Bertrand Duarte, Jandir Ferrari e Andrea Richa.

Dois poetas e amigos de infância lançam um livro numa pastelaria do centro de São Paulo e convidam a mais variada fauna humana para o evento, incluindo um suicida em potencial, cafetões, prostitutas e desocupados.

 

 

Janeiro

imagem-cabecalho-site

 

EXPOSIÇÃO

Todos os espaços da casa

 

Schwanke, habitar os incorporais

Abertura em 01 de dezembro, quinta-feira, às 19h.  

Visitação até 16 de março de 2017, de segunda a sexta-feira, das 12h às 19h.

 

Luiz Henrique Schwanke (Joinville, SC 1951 – 1992) depura diferentes referências artísticas em sua produção. Entretanto, não se trata de um procedimento polarizado, mas de uma travessia incessante, uma vez que, aquilo que deveria ser despersonalizado e banido de emoção pelo recurso de materiais industriais, cria constantes tangências com o universo orgânico, o erotismo e a densidade trágica.

Os estóicos chamavam de incorporal tudo aquilo que não podia ser medido ou pesado, quantificado ou que ocupasse lugar. Na mais imensa vastidão do espaço e no mais diminuto instante, no mais íntimo e na mais obscura exterioridade, no mais pulsante e renitente, no que sempre volta e no que sempre escapa, era lá que ele estava.

Tal entendimento se reafirma num texto em que Schwanke considera: Não quero nada com a visualidade, quero o exercício dos sentidos com a imaginação. Nesta dimensão não apenas insere suas investigações e experimentações, mas também se reconhece como parte de uma unidade móvel capaz de acionar um fluxo entre o pensamento e o artista, o artista e a obra, a obra e o espectador, o espectador e o pensamento.

Essa exposição é uma parceria entre Fundação Cultural Badesc e Instituto MAC Schwanke, sob curadoria de Rosângela Cherem.

 

EDITAL de exposições 2017

Inscrições até 10 de fevereiro de 2017.

Estão abertas as inscrições para o edital de exposições do Espaço Fernando Beck e do Espaço 2, que vão selecionar projetos para 2017. O regulamento pode ser obtido em www.fundacaoculturalbadesc.com ou retirado na Casa.

 

CINEMA

Mostra Vida de Artista

Inspirada pela ideia de que a arte seria capaz de redimir ou transformar a vida daqueles impactados por ela, a Mostra busca refletir sobre essas possibilidades pelo outro lado: o dos artistas. Para quem vive da sua expressão artística, seria esta uma forma de aproximação ou afastamento da vida? É a arte capaz de expressar tudo o que a vida abrange? Pode um artista ser redimido pela sua obra? Estas são algumas questões levantadas pelos filmes que mostram a vida de artistas de diversas áreas.

 

Estreia – Invólucro

Realizado pela paraibana Caroline Oliveira, o filme tem como mote a primeira gravidez da diretora e as mudanças corporais e sociais desencadeadas a partir dela. Após se apresentar à câmera, ela vai em busca de outras

personagens que, aparentemente, nada têm comum com ela mesma: duas mulheres já maduras que decidiram não ter filhos (uma médica e outra produtora cultural) e uma transexual. Carol faz um recorte das suas inquietações pessoais que encontram ressonância mais ampla em reflexões comuns ao gênero feminino.

 

Estreia – Time Will Burn

O documentário de Marko Panayotis e Otavio Sousa registra a cena de bandas que surgiu entre o final da década de 80 e durou até a metade da seguinte, entre o boom do Br-Rock (Titãs, Os Paralamas do Sucesso, Ultraje a Rigor) e o boom de Raimundos e outras bandas. Nesse período, um grupo de bandas que cantava em inglês e fazia um som totalmente diferente deu o seu recado e fez muito barulho, influenciado principalmente pelo rock que vinha da Inglaterra e EUA. Com eles, o Brasil criou o seu próprio cenário independente. Sem internet, mas com muita fita

demo, fanzines, cartazes colados nos postes e shows nos menores palcos e inferninhos que se possa imaginar.

 

Sessão Catarina – O Mundo da Nóia e Redução é a Chibata

Dois documentários da Cia Boanova de Cinema Regional tratam de questões profundas e urgentes sobre as minorias e a juventude brasileira: O Mundo da Nóia aborda a situação do vício em crack a partir de depoimentos de funcionários públicos, familiares e viciados; Redução é a Chibata reflete sobre a redução da maioridade penal como prática que insere no sujeito uma problemática de ordem social

 

Foco em Cinema – Os dois Mabuse

A sessão Foco em Cinema apresentará uma exibição dupla, com a obra do clássico diretor Fritz Lang em momentos distintos em sua carreira: o último trabalho antes de seu exílio americano e seu filme final, que retoma o mesmo personagem. Com comentários do crítico Inácio Araújo após a sessão.

 

CINECLUBE

 

Dia 9, segunda-feira, 19h, Vida de Artista

09-cronica-de-anna-magdalena-bachCrônica de Anna Magdalena Bach

(Chronik der Anna Magdalena Bach) de Danièle Huillet e Jean-Marie Straub. Alemanha Ocidental, Itália. 1968. 94 min. Biografia. Sem classificação. Com Gustav Leonhardt, Christiane Lang e Paolo Carlini.

A vida de Johann Sebastian Bach narrada por sua segunda esposa, com diversos excertos de suas obras.

 

Dia 10, terça-feira, 19h, Cine Alemão

10-todos-os-outrosTodos os Outros

(Alle Anderen) de Maren Ade. Alemanha. 2009. 124 min. Drama. Sem classificação. Com Birgit Minichmayr, Lars Eidinger e Nicole Marischka.

Durante férias na Sardenha, dois jovens  fazem amizade com outro casal, o que os faz perceber questões mal-resolvidas de seu relacionamento.

 

Dia 11, quarta-feira, 19h, Art 7

11-investigacao-sobre-um-cidadao-acima-de-qualquer-suspeitaInvestigação sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita

(Indagine su un cittadino al di sopra di ogni sospetto) de Elio Petri. EUA. 1970. 112min. Drama, policial. 14 anos. Com Gian Maria Volonte, Florinda Bolkan e Massimo Foschi. Ciclo: Cinema Político.

Inspetor com fama de incorruptível mata a amante e testa se a polícia irá incriminá-lo, deixando pistas óbvias.

 

Dia 12, quinta-feira, 19h, Cine Aliança Francesa

12-o-batedor-de-carteirasO Batedor de Carteiras

(Pickpocket) de Robert Bresson. França. 1959. 75 min. Drama. Sem classificação. Com  Martin LaSalle, Marika Green e Jean Pélégri.

Jovem começa a realizar pequenos furtos para sobreviver e acaba por tornar-se um exímio batedor de carteiras. Seu talento lhe incentiva a desafiar a inteligência da polícia.

 

Dia 13, sexta-feira, 19h, Estreia

13-involucroInvólucro

de Caroline Oliveira. Brasil. 2015. 63 min. Documentário. 14 anos. Com Carol, Dudha, Astrid e Izabella.

Durante sua primeira gravidez, a diretora entrevista diferentes mulheres que optaram por não ter filhos.

Comentaristas: Adriane Canan –  formada em jornalismo e com mestrado em literatura pela UFSC. Trabalha em documentário em temas ligados às mulheres. O último documentário “Arpilleras: bordando a resistência”. trata de histórias de mulheres atingidas por barragens de todo o país; Paula Guimarães – Jornalista e idealizadora do Portal Catarinas. Gerencia o portal e faz coberturas jornalísticas sobre gênero, feminismos e direitos das mulheres.

 

Dia 16, segunda-feira, 19h, Vida de Artista

16-retrato-de-jennieO Retrato de Jennie

(Portrait of Jennie) de William Dieterle. EUA. 1948. 86 min. Drama, Romance. Sem classificaçã. Com Jennifer Jones, Joseph Cotten e Ethel Barrymore.

Artista conhece ao acaso uma misteriosa mulher que irá inspirar seu trabalho, mas ela lhe permanece inacessível.

 

Dia 17, terça-feira, 19h, Sessão Curtas

17-cidades-latinoamericanasCidades Latino-americanas

Valparaíso

(…A Valparaiso) de Joris Ivens. Chile, França. 1964. 28 min. Documentário. Sem classificação.

Descreve a cidade de Valparaíso, Chile, cujas escadas e funiculares marcam a geografia íngreme.

Brasília, Contradições de uma Cidade Nova

de Joaquim Pedro de Andrade. Brasil. 1968. 23 min. Documentário. Sem classificação.

Seis anos após a construção de Brasília, percebe-se o descompasso entre o ideal de seu projeto e o resultado real.

Saudações, Cubanos

(Salut les Cubains) de Agnès Varda. França, Cuba. 1963. 30 min. Documentário. Sem classificação. Com Michel Piccoli, Nelson Rodríguez e Agnès Varda.

Foto-montagem sobre a vida na capital cubana quatro anos após a Revolução.

Comentarista: Guilherme Llantada – Mestre em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade, professor do curso de Arquitetura da UNIVALI, fotógrafo de arquitetura.

 

Dia 18, quarta-feira, 19h, Art 7

18-sacco-e-vanzettiSacco e Vanzetti

(Sacco & Vanzetti) de Giuliano Montaldo. França, Itália. 1971. 120 min. Drama, policial, biografia. Sem classificação. Com Gian Maria Volonte, Cyril Cusac e Milo O’Shea. Ciclo: Cinema Político.

Julgamento de imigrantes italianos em Boston, por assassinato, ganha contornos políticos pela origem dos envolvidos.

 

Dia 19, quinta-feira, 19h, O Filme que Eu Gostaria de Ter Feito

19-anti-heroi-americanoAnti-Herói Americano

(American Splendor) de Shari Springer Berman. EUA. 2003. 101 min. Biografia, Drama. 14 anos. Com Paul Giamatti, Shari Springer Berman e Harvey Pekar.

Mistura entre ficção e realidade dramatiza a vida de Harvey Pekar, autor de histórias em quadrinhos .

 

Dia 20, sexta-feira, 19h, Estreia

15578391_1151093838342692_5341635863427347455_nTime Will Burn – O Rock Underground Brasileiro do Começo dos Anos 90

de Marko Panayotis e Otavio Sousa. Brasil. 2016. 80 min. Documentário. Livre. Com Banda Pin Ups, Fábio Massari e Gastão Moreira.

Um capítulo quase esquecido do rock brasileiro estrelado por Pin Ups, Killing Chainsaw e Second Come e que aconteceu entre o rock dos anos 80 (Titãs, Paralamas) e o da segunda metade dos 90 (Raimundos, Planet Hemp).

Comentaristas: Fabio Bianchini – banda Superbug e Cassim – bandas Magog, Bad Folks e Cassim & Barbária.

 

Dia 23, segunda-feira, 19h, Vida de Artista

23-van-goghVan Gogh

De Maurice Pialat. França. 1991. 158min. Drama. Sem classificação. Com Jacques Dutronc, Alexandra London e Bernard Le Coq.

Um exame da vida de Vincent Van Gogh, em seus últimos 67 dias de vida.

 

Dia 24, terça-feira, 19h, Cine Africano


24-andarilhos-do-deserto
Andarilhos do deserto

(El-haimoune) de Nacer Khemir. Tunísia, França. 1986. 95 min. Drama. 16 anos. Com Nacer Khemir, Soufiane Makni e Noureddine Kasbaoui.

Filme influenciado pelas histórias das Mil e Uma Noites: em uma escola no meio do deserto, figuras lendárias se materializam, crianças correm por labirintos, e o professor desaparece misteriosamente.

 

Dia 25, quarta-feira, 19h, Art 7

25A Classe Operária Vai ao Paraíso

(La Classe Operaia Va in Paradiso) de Elio Petri. Italia. 1971. 125 min. Drama. Sem classificação. Com Gian Maria Volonte, Mariangela Melato e Gino Pernice. Ciclo: Cinema Político

Operário exemplar que não participa de greves sindicais muda de postura ao sofrer acidente de trabalho.

 

Dia 26, quinta-feira, 19h, Foco em Cinema

26-testamento-mabuseO Testamento do Dr. Mabuse

(Das Testament des Dr. Mabuse) de Fritz Lang. Alemanha. 1933. 122 min. Crime, mistério. Sem classificação. Com Rudolf Klein-Rogge,  Otto Wernicke e Gustav Diessl.

Investigação policial leva a um único suspeito: um paciente preso em um hospital psiquiátrico.

Comentarista: Mauro PommerEx-professor do curso de Cinema da UFSC, jornalista, mestre em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e doutor em Cinema pela Universidade de Sorbonne (Paris).

 

Dia 27, sexta-feira, 19h, Foco em Cinema

27-1000-olhos-mabuseOs Mil Olhos do Dr. Mabuse

(Die 1000 Augen des Dr. Mabuse) de Fritz Lang. França, Itália, Alemanha Ocidental. 1960. 103 min. Crime, mistério. Sem classificação. Com Dawn Addams, Peter van Eyck e Gert Fröbe.

Fatos misteriosos, violentos e aleatórios parecem apontar apenas para uma coisa: teria o Dr Mabuse retornado dos mortos?

Comentarista: Bruno Andrade, Crítico e pesquisador. Colaborou para publicações nacionais e internacionais, em mídia impressa e online. Editor da Foco – Revista de Cinema.

 

Dia 30, segunda-feira, 19h, Vida de Artista

30-um-filme-para-nickUm Filme Para Nick

(Lightning Over Water) de Nicholas Ray, Wim Wenders. Suécia, Alemanha Ocidental. 1980. 91 min. Documentário. 12 anos. Com  Gerry Bamman, Ronee Blakley e Pierre Cottrell.

Nicholas Ray, grande diretor americano, deseja fazer um último filme antes de morrer. Acompanhamos o planejamento para as filmagens durante seus dias finais de vida.

Comentaristas: André Barcellos, Lucian Chaussard, Thiago Santana e Vitor Vianna, integrantes do podcast de cinema A Conversação – http://aconversacao.tumblr.com.

 

Dia 31, terça-feira, 19h, Sessão Catarina

31-sessao-catarinaO Mundo da Nóia – por trás da pedra a realidade que ninguém vê

de Vinícius Billy e Luiz F. F. Machado. Brasil. 2016. 37 min. Documentário. Sem classificação.

A o consumo de crack no município de Laguna é o ponto de partida para abordar essa problemática com depoimentos de profissionais, familiares e viciados.

Redução é a Chibata – uma reflexão sobre a redução da maioridade penal no Brasil

De Luiz F. F. Machado. Brasil. 2016. 28 min. Documentário. Sem classificação.

Analisa a possibilidade da redução da maioridade penal, projeto de Emenda Constitucional que tramita no Senado.

Blogspot Twitter