Caçadores e Coletores ou No Fine Arts

setembro 10, 2015 | Sem categoria

Convite_WEB_Caçadores-e-Coletores-(No-Fine-Arts)

Exposição coletiva sobre homens do sambaqui abre quinta-feira na Fundação Cultural Badesc

Com a curadoria de Fernando Boppré, a exposição coletiva Caçadores e Coletores ou No Fine Arts abre na quinta-feira, (17/09), a partir das 19h, no Espaço 2, na Fundação Cultural Badesc. O trabalho reúne fotografias, vídeos e objetos de 11 artistas  que homenageiam os povos ameríndios pré-históricos, os chamados homens do sambaqui, que ocuparam o território litorâneo brasileiro há milhares de anos.

Ana Viegas, Lengo D’Noronha, Carla Linhares, Charles Steuck, Egídio Rocci, Felipe Vernizzi, Guto Kuerten, Leandro Lopes de Souza, Radji Schucman, Sandra Correia Fávero e Sérgio Vignes são os artistas envolvidos no projeto inédito que contempla em sua maior parte fotografias “Eu considerei que o procedimento de coletar e caçar na atualidade –  isso no interior do campo artístico, também se faz por meio de instrumentos modernos como a câmera fotográfica e a de vídeo”, declara Boppré.

De acordo com Boppré, Caçadores e Coletores ou No Fine Arts surgiu após uma visita ao museu do Homem do Sambaqui Padre Alfredo Rohr no Colégio Catarinense, em Florianópolis. “A minha formação é na área da história e eu sempre fui fascinado pelo universo da pré-história. Que homens e mulheres eram esses que transitavam por esse mesmo território onde vivemos há milhares de anos? O primeiro registro que se tem desse povo foi há aproximadamente 6.500 anos atrás. Eles tinham um hábito extremamente curioso e ainda hoje enigmático em muitos sentidos, que era o de acumular tanto seus mortos, habitações e restos de alimentação num mesmo local, esses montes elevados que hoje conhecemos como sambaquis”.

Com essa simbologia, Boppré acredita na constatação de que “continuamos sendo caçadores e coletores. A diferença é que temos processos industriais de larga escala, que essa caça e coleta ganhou contornos que, muitas vezes, provocam até mesmo verdadeiras hecatombes ambientais. Tendo isso em vista, eu comecei a pensar em artistas que trabalhassem com a ideia de ‘caça e coleta’ de um modo delicado, sensível, sem ser invasivo com a natureza ou com o outro. A exposição está baseada nessa ideia, de ver a ‘caça e a coleta’ por um viés poético, não destrutivo, mas sim construtor de sentidos e relações entre as pessoas e a natureza”.

Caçadores e Coletores ou No Fine Arts fica aberta ao público até o dia 16 de outubro na Fundação Cultural Badesc. A entrada é gratuita.

 

Serviço:

O quê: abertura da exposição coletiva Caçadores e Coletores ou No Fine Arts – curadoria Fernando Boppré

Quando: 17 de setembro, quinta-feira, às 19h

Visitação: até 16 de outubro de segunda a sexta-feira, das 12 às 19h

Onde: Espaço 2 da Fundação Cultural Badesc – Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis – Fone 3224-8846

Entrada gratuita

Tags:

Deixe seu comentário

Blogspot Twitter