riosmentaiscansonblack

AS COISAS DISTANTES PARECEM MENORES DO QUE SÃO NA REALIDADE

DANTE ACOSTA

ESPAÇO FERNANDO BECK | DE 04 DE MARÇO A 08 DE ABRIL DE 2021

Inspirados em elementos da natureza, 19 trabalhos executados com diferentes materiais (caneta nanquim, hidrográfica, tinta acrílica, caneta de tinta pigmentada), suportes (papéis, telas) e técnicas (aquarela, digitalização e impressão) são apresentados em uma curadoria que propõe um recorte da pesquisa gráfica do artista nos últimos cinco anos. Dante é graduado em Artes Visuais na UFSM e mestre em Artes pela Escola de Belas Artes da UFMG. Natural de São Borja/RS atualmente reside em Florianópolis.

previous arrow
next arrow
Full screenExit full screen
previous arrownext arrow
Slider

APRESENTAÇÃO

Quartzo verde, tinta acrílica e tinta pigmentada sobre tela, 2018. 76x101cm. Fonte: Dante Acosta.
Exposição as coisas distantes parecem menores do que são na realidade, de Dante Acosta.

A presente exposição traz ao público o recorte de uma produção artística que investiga as possibilidades do desenho, em práticas realizadas nos últimos cinco anos. São ao todo dezenove trabalhos, com suportes em tela e papel e executados manualmente com canetas e tintas aquareladas - além de edições impressas originárias de desenhos em sketchbook.

Dois dos trabalhos podem ser considerados precursores da pesquisa artística aqui apresentada: o impresso em grande formato logo na entrada da mostra (Rios Mentais, realizado em papel a4 e posteriormente digitalizado e impresso ampliado), e a sequência de digitalizações do caderno de desenho, impressas e colocadas em sequência na sala 3 (Matinho). São desenhos originários da tentativa de traçar linhas em contínuo movimento sem perder o contato com a superfície desenhada (Rios Mentais) e, ao mesmo tempo, objetivando preencher totalmente a superfície escolhida com um exercício gráfico uniforme, constante, harmônico, paciente e minucioso (Matinho).

A partir destes exercícios, surgiram outros trabalhos com o mesmo pressuposto, muitos deles aqui reunidos. As representações de elementos presentes na natureza tornaram-se uma constante, oriundos de uma pesquisa mais antiga sobre a paisagem e suas relações com a arte da memória. O tema é recorrente desde os primeiros anos de pesquisa artística de Dante, que coincidem com seus primeiros trabalhos exibidos ao público. O artista, nascido em 1983 na cidade de São Borja/RS, estudou Artes Visuais na UFSM (RS), tornando-se Bacharel em 2006. Ainda em 2005, foi mapeado pelo programa Rumos Itaú Cultural (São Paulo/SP), e em 2008 apresentou a intervenção urbana Da epifania de silêncios e outras odes, selecionada via edital para o 40º Festival de Inverno da UFMG, em Diamantina/MG.

Em 2011 tornou-se mestre em Artes pela Escola de Belas Artes da UFMG. Realizou, em 2014, a exposição Frente/Verso, em Chapecó/SC; em 2016 apresentou exposição Sob o corpo/Sobre a terra nas galerias do SESC em Lages e de Joaçaba, Santa Catarina; em 2017 participou da coletiva Metanoia, na Galeria Airez, parte integrante da Bienal de Curitiba/Paraná. Paralelamente aos 15 anos de trajetória artística, trabalhou como produtor cultural e professor universitário; elaborou peças gráficas para exposições, espetáculos de teatro e performances, também assinando algumas cenografias. Alguns de seus trabalhos mais recentes estão em coleções particulares no Brasil e nos Estados Unidos. Atualmente reside em Florianópolis/SC.

Dante Acosta

VEJA MAIS

COMPARTILHE ESTE POST: