badescconvite

ESCRITO

MAÍRA DIETRICH

ESPAÇO 2 | DE 22 DE OUTUBRO A 20 DE NOVEMBRO DE 2015

As artistas Maíra Dietrich e Tereza Bossler ocuparam simultaneamente o Espaço 2 da Fundação Cultural Badesc, com exposições individuais. Escrito foi uma instalação que alinhou questões do pensamento gráfico, problematizando uma simbiose entre o desenho e a escrita, representado pelo desperdício da linha que poderia ser escrita e transformada em gesto repetitivo e vazado, indicado pelo desaparecimento da página sendo rasgada. Maíra Dietrich é natural de Florianópolis e bacharel em Artes Plásticas pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Atua como colaboradora e designer da editora independente Par(ent)esis. Coordena desde 2012 o selo editorial A Missão.

previous arrow
next arrow
Full screenExit full screen
previous arrownext arrow
Slider

APRESENTAÇÃO

Exposição Escrito, de Maíra Dietrich.

Ao organizar as massas gráficas em força, tamanho e precisão, o gesto da escrita se difere do gesto do desenho. Escrito leva a metáfora da escrita para o campo de uma leitura ilegível, pronta para ser completada pela insistência do gesto no desenho. As variações desperdiçadas num texto que poderia vir como repetição cria no desenho a variação.

Escrito é o vão possível entre a escritura e sua legibilidade: a qualidade mimética da linguagem numa descrição que poderia transbordar da escrita e vazar para a obsessão do desenho. Com essa possibilidade infinita do trabalho, obra e ato, evidencia-se a falta de seu contorno, fazendo do desenho um gesto de selvageria regido pelo rigor da mão que o desenha. Nesse caso, a construção de um plano quase sólido, iludido pelas suas próprias questões de figura e fundo, traz aos olhares um sistema métrico ditado pelo tempo e pela presença da escritura sem autor. tal qualidade do método empregado, ferramenta e suporte, pode evidenciar o detalhe do desenho que, aqui, é parte da mesma ação que o faz estar desenhado. Talvez, nesse caso, o verbo “desenhar” possa ser a fusão quase completa dos verbos “ler” e “escrever”, parede e grafite.

Gustavo Colombini e Leonardo Araujo

VEJA MAIS

COMPARTILHE ESTE POST: