Exposição O Nômade e o Sedentário

A Fundação Cultural Badesc abre no dia 23 de junho, no Espaço 2, às 19h a exposição O Nômade e o Sedentário, de Diane Sbardelotto. Por meio de obras que misturam linguagens como pintura, escultura maleável, objetos e roupas a artista trabalha os conceitos de nomadismo e sedentarismo.
“Nela serão apresentados trabalhos que entremeiam limites das linguagens artísticas da pintura e da escultura, por meio de objetos construídos com tecidos diversos costurados de maneira irregular, onde são aplicadas camadas pictóricas e endurecimentos com cola e goma. São expostos ora com distendimentos, com protuberâncias, ora com maleabilidade e soltura do tecido. A poética é desenvolvida como gesto de ser nômade sem sair do lugar, mover-se em um espaço sedentário, de aprisionamento. Relaciona-se com ideias de revestimento do corpo, roupa ou carne”, explica Diane.
O trabalho começou há oito anos a partir do elemento do molde da roupa, enquanto a artista trabalhava em uma fábrica de roupas em série. Várias foram as maneiras como ele foi apresentado durante esse tempo, através de performances, pinturas mais planas e outros desdobramentos, inclusive com colaborações de outros artistas
“Esse trabalho atingiu mais espacialidade e caráter escultórico. Na associação com o nômade e o sedentário, a pesquisa em torno desses dois conceitos, vem de aproximadamente um ano, quando comecei a estudar temas da educação e filosofias da diferença, a partir de autores como Deleuze e Guattari. Essas associações teóricas são, no entanto, algumas relações possíveis e contaminações de leituras, mas plasticamente o trabalho está atualmente envolvendo bastante as questões de maleabilidade, distensão, fixo e móvel, forma e des-forma, repetição, entre outras”.
Diane Sbardelotto é bacharel e licenciada em Artes Visuais (Unochapecó e UFRGS). Atua em diversos campos das artes com temas como o corpo submisso, a roupa, a mulher em ambientes rurais e poéticas do cotidiano doméstico. Sua trajetória artística é de trabalhos simultâneos em ensino de arte como professora e mediadora, com figurinos e cenografia de espetáculos cênicos. Tem diversos trabalhos colaborativos com textos e ilustrações publicados em livros e revistas.
A expoisção O Nômade e o Sedentário fica aberta para visitação até dia 28 de julho.

“De repente se deu conta do descompasso entre o desejo de se determinar o espaço das árvores e o curso próprio da liberdade dessas. A circunscrição de metal esperava um corpo não tão esguio, ora, havia a expectativa de que se tornasse bojuda, farta em seu preenchimento. Mas nem por isso. O resultado fora o inicial esgarçamento do metal. Ele poderia ser arrebentado e a liberdade diria basta à idealidade roubadora da expansão. O resultado, porém, é a fusão da carne da árvore a engolir a ferragem, a deixá-la existir. O tronco se mescla à imaginação restritiva, a existência arbórea se torna o vestido do esqueleto que passa a envolver. A planta se faz roupa anômala do corpo que lhe fora imposto.” Cesar Kiraly

Serviço:
O que: Abertura da exposição O Nômade e o Sedentário
Quando: 23 de junho (quinta-feira), às 19h – Visitação até 28 de julho
Onde: Fundação Cultural Badesc – Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis – Fone 3224-8846
Quanto: Entrada gratuita

Compartilhe este post: