15 10 22 EXPOSIÇÃO - EXTREMOS, Tereza Bossler (15)

EXTREMOS

TEREZA BOSSLER

ESPAÇO 2 | DE 22 DE OUTUBRO A 20 DE NOVEMBRO DE 2015

As artistas Maíra Dietrich e Tereza Bossler ocuparam simultaneamente o Espaço 2 da Fundação Cultural Badesc, com exposições individuais. Extremos tratou do fluxo cada vez maior de veículos nas grandes cidades, provocado pela ânsia de ocupar maior espaço em menor tempo, que faz com que os cidadãos se esqueçam de diminuir o ritmo e desacelerar. A instalação adquiriu um corpo que evocava o caráter efêmero da vida e dos objetos, a partir do vidro, perpetuando-se no meio de nós. Tereza Bossler cursa Artes Visuais na Universidade Federal do Paraná e é docente do Ensino Fundamental da Prefeitura Municipal de Piraquara (PR). A artista desmontou sua obra durante ação performática e a remontou nos Jardins da Fundação, onde permanecerá até se desintegrar.

previous arrow
next arrow
Full screenExit full screen
previous arrownext arrow
Slider

APRESENTAÇÃO

Exposição Extremos, de Tereza Bossler.

O fluxo de veículos nas grandes cidades, provocado pela ânsia de ocupar maior espaço em menor tempo, faz com que muitas vezes nos esqueçamos de desacelerar o ritmo. Com isso, a velocidade muitas vezes causa um violento choque entre os dois extremos – a vida tão frágil e transitória se esvai e o vidro, com seu aspecto rígido e durável, permanece. Mesmo com a quebra não deixa de ser vidro. Ando de bicicleta diariamente em Curitiba e região. Na beira da estrada encontro constantemente objetos que ali foram descartados. Foi num desses momentos que encontrei um para-brisa quebrado. O contato do vidro com a natureza chamou minha atenção. Percebi questões como a transitoriedade da vida e dos objetos. A velocidade com que estes últimos são produzidos, consumidos e descartados entra em contraste com a durabilidade do vidro. Fatores que me fizeram ter esse material como forma de me expressar.

Não considero minhas produções esculturas, denomino-as instalações pelo seu caráter transitório. Em cada montagem a proposta adquire um corpo diferente, pois se posiciona, em forma e escala, conforme o espaço em que se insere.

Tereza Bossler

MEMÓRIA EM 4 TEMPOS APRESENTA EXTREMOS

Este mini documentário, dirigido por Eneléo Alcides, com imagens de Sandra Alves, integra o projeto Memória em 4 Tempos que registra pensamento, projetos e processos criativos de artistas selecionados para expor na Fundação Cultural Badesc.

VEJA MAIS

Compartilhe este post:

COMPARTILHE ESTE POST: