¿Hay em Portugués? e Mehin|Mekarõ

Hay em portugués capa
Hay em portugués capa

Difundir textos significativos para a arte contemporânea que não foram traduzidos, publicados, reeditados ou veiculados no Brasil. É com este objetivo que a publicação ¿Hay em Portugués? número dois foi produzida ano passado e é lançada agora, dia 7 de agosto, quarta-feira, às 19h, na Fundação Cultural Badesc.

Na mesma noite será aberta a exposição A vídeo-instalação Mekarõ consiste no encontro entre duas autorias, a de Carol Matias e a do Grupo Mentuwajê do povo indígena Krahô. As fotografias da realizadora brasiliense retratam a ação da câmera indígena durante o ritual de iniciação Pembkahèc, enquanto os vídeos dos guardiães da cultura (mentuwajê) registram momentos dessa e de outras festas na aldeia Pedra Branca, próxima à Itacajá no norte de Tocantins. Tanto as fotografias quanto os vídeos são denominados pelo povo Krahô de Mekarõ. A mesma palavra designa alma, reflexo e sombra; ou seja, duplos, imagens. A partir desse conceito, a vídeo-instalação propicia o encontro interestético da fotógrafa visitante e dos realizadores nativos. Mekarõ – imagens em diálogo apresenta a contemporaneidade da produção indígena num viés subjetivo. Toda a fonte de luz encontrada nas fotos é proveniente da iluminação feita para os vídeos noturnos. A escuridão da noite e a idéia de alma (tanto entre os krahô quanto no imaginário ocidental) guiaram a produção das fotos: são vultos, espectros, visões obtidas com a exposição expandida do obturador fotográfico. O som dos vídeos de curta duração do grupo indígena criam a ambiência imersiva do projeto.

A vídeo-instalação, conjugada com outra série fotográfica, Mehin, foi apresentada em março na Galeria Ponto, em Brasília, como resultado do fim de curso de graduação em Audiovisual na Universidade de Brasília, orientado pela profª Drª Susana Dobal.

Nesta terceira edição, o foco está nos documentos de performance, sobretudo performances latino-americanas. Entre os textos traduzidos estão presentes a correspondência inédita entre os artistas performáticos Alex Hamburger e Ricardo Basbaum e a autora e crítica RoseLee Goldberg, e um inventário listando performances ocorridas nas últimas décadas na América Latina.

Além deles, a publicação traz a tradução de dois textos de referência para os estudos de performance: A performatividade dos documentos de Performance, de Philip Auslander e, Sobre performance (e outras complicações) de Jens Hoffmann e Joan Jonas.

¿Hay em Portugués? número dois é uma produção da disciplina Performance ministrada por Regina Melim, no Programa de Pós Graduação em Artes Visuais, na Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Participaram deste número Adriana Barreto, BilLühmann, Cristina de Oliveira Cardoso, Daniela Souto, Letícia Cobra Lima, Maria Simonetti, Marta Facco, Michele Schiocchet, Milene Duenha, Oscar Chica e Vanessa Schultz, e contribuições de Alex Hamburger, Daniela Mattos, Fabio Morais, Paulo Reis e Ricardo Basbaum.

SERVIÇO:
O que: Lançamento ¿Hay em Portugués? número dois e abertura da exposição
Quando: 7 de agosto de 2013
Onde: Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Ouro Preto, 216. Centro. Florianópolis
Quanto: Gratuito

Compartilhe este post: