0Exposição Ova, de Maristela Müller testa (8)

OVA

MARISTELA MÜLLER

ESPAÇO PAULO GAIAD | 17 DE OUTUBRO A 22 DE NOVEMBRO DE 2019

A série de fotografias e objetos artísticos remetem à fertilidade e podem representar ovos e óvulos de qualquer animal. O título também remete à expressão uma ova, que exprime negação e repúdio, criando um contraponto poético. Maristela Müller é natural de São Paulo das Missões e cursa doutorado em Artes Visuais na Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). A exposição foi selecionada pelo Edital 2019 na categoria Primeira Individual.

previous arrow
next arrow
Full screenExit full screen
previous arrownext arrow
Slider

APRESENTAÇÃO

Oráculo II, Série OVA, 2018. Fotografia 60x60cm.

A série de fotografias e objetos artísticos denominada OVA parte de problemáticas sobre a fertilidade e acende conflitos internos, pois é possível refletir acerca da incrível capacidade de gerar vida e, ao mesmo tempo, a negação dessa possibilidade. Por isso, o título da exposição também remete à expressão “uma ova”, que exprime negação e repúdio.

A produção fotográfica iniciou em 2016, com os oito anos da minha filha. Oito como símbolo do infinito, como a fita de Moebius, como um caminho que se recria constantemente. Eu a fotografava. Ela me fotografava. Depois, as produções eram debatidas no grupo “Sopro Coletivo” e se convertiam em novas possibilidades de expressão e criação.

Na série OVA, identifica-se a fertilidade através da natureza, da relação entre mãe e filha, dos elementos humanos e animalescos, assim como através de um elemento/forma utilizado como símbolo da fertilidade, que são as esferas transparentes. As ovas, óvulos e ovos se identificam nas formas arredondadas que podem aparecer pequeninas ou em dimensões maiores, como um oráculo em que a vida se mostra e se refaz.

As fotografias e objetos artísticos balançam entre a beleza e o asqueroso, a morbidez e a fertilidade, entre natureza e ato criador humano. Um conjunto de trabalhos que, vistos de longe, chamam a atenção pela delicadeza, mas vistos de perto podem parecer repugnantes. Um misto de afeição e incômodo, de entusiasmo e negação do nosso contexto fecundo.

Maristela Müller

VEJA MAIS

COMPARTILHE ESTE POST: