Soninha vill veracidade 2018

verAcidade

ARTHUR CUNHA • DIORGENES PANDINI • EDUARDO BELTRAME • LUCAS FLYGARE • MARIA LUIZA SUMIENSKI • SONINHA VILL

CURADORIA DE LUCILA HORN

ESPAÇO PAULO GAIAD | 14 DE MARÇO A 22 DE MARÇO DE 2019

A mostra propõe um tensionamento das fronteiras entre o real e o imaginário a partir das produções fotográficas dos artistas participantes, proporcionando uma reflexão acerca da imagem naturalizada do que entendemos por cidade para, a partir dela, refletir sobre a nossa experiência com este espaço. Mais de 10 trabalhos, incluindo fotografia e vídeo, reapresentam olhares sobre a cidade e sua ocupação arquitetônica e humana.

Casas, Eduardo Beltrame, 2017. Fotografia digital, 300x200cm.
Rua João Pinto (detalhe), Maria Luiza Sunienski, 2015. Impressão de pigmentos minerais sobre papel 100% algodão, 390x10cm.
Rua João Pinto (detalhe), Maria Luiza Sunienski, 2015. Impressão de pigmentos minerais sobre papel 100% algodão, 390x10cm.
Não Lugar, Diorgenes Pandini, 2016-2018. Vídeo.
Não Lugar, Diorgenes Pandini, 2016-2018. Fotografia.
Fragmento [1,2,3], Arthur Cunha, 2018. Fotografia.
Fragmento [4,5], Arthur Cunha, 2018. Fotografia.
Ter olhos azuis é saber ver o azul em suas representações infindas, Maria Luiza Sunienski, 2018. Impressão de pigmentos minerais sobre papel 100% algodão, 58x75cm.
Sem título, Soninha Vill, 2018. Fotografia, 110x70cm.
Des-construções Transitórias, Lucas Flygare, 2018. Frame do vídeo, 18'34''.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Casas, Eduardo Beltrame, 2017. Fotografia digital, 300x200cm.
Rua João Pinto (detalhe), Maria Luiza Sunienski, 2015. Impressão de pigmentos minerais sobre papel 100% algodão, 390x10cm.
Rua João Pinto (detalhe), Maria Luiza Sunienski, 2015. Impressão de pigmentos minerais sobre papel 100% algodão, 390x10cm.
Não Lugar, Diorgenes Pandini, 2016-2018. Vídeo.
Não Lugar, Diorgenes Pandini, 2016-2018. Fotografia.
Fragmento [1,2,3], Arthur Cunha, 2018. Fotografia.
Fragmento [4,5], Arthur Cunha, 2018. Fotografia.
Ter olhos azuis é saber ver o azul em suas representações infindas, Maria Luiza Sunienski, 2018. Impressão de pigmentos minerais sobre papel 100% algodão, 58x75cm.
Sem título, Soninha Vill, 2018. Fotografia, 110x70cm.
Des-construções Transitórias, Lucas Flygare, 2018. Frame do vídeo, 18'34''.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exit full screenEnter Full screen
previous arrow
next arrow
 
Casas, Eduardo Beltrame, 2017. Fotografia digital, 300x200cm.
Rua João Pinto (detalhe), Maria Luiza Sunienski, 2015. Impressão de pigmentos minerais sobre papel 100% algodão, 390x10cm.
Rua João Pinto (detalhe), Maria Luiza Sunienski, 2015. Impressão de pigmentos minerais sobre papel 100% algodão, 390x10cm.
Não Lugar, Diorgenes Pandini, 2016-2018. Vídeo.
Não Lugar, Diorgenes Pandini, 2016-2018. Fotografia.
Fragmento [1,2,3], Arthur Cunha, 2018. Fotografia.
Fragmento [4,5], Arthur Cunha, 2018. Fotografia.
Ter olhos azuis é saber ver o azul em suas representações infindas, Maria Luiza Sunienski, 2018. Impressão de pigmentos minerais sobre papel 100% algodão, 58x75cm.
Sem título, Soninha Vill, 2018. Fotografia, 110x70cm.
Des-construções Transitórias, Lucas Flygare, 2018. Frame do vídeo, 18'34''.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
Exposição verAcidade.
previous arrow
next arrow

APRESENTAÇÃO

Rua João Pinto (detalhe), Maria Luiza Sunienski, 2015. Impressão de pigmentos minerais sobre papel 100% algodão, 390x10cm.

VerAcidade traz à tona a imagem naturalizada do que entendemos por cidade para, a partir dela, refletir sobre a nossa experiência com este espaço.
Os trabalhos dos artistas dialogam sobre o tema a partir da fotografia, tencionando as fronteiras entre o real e o imaginário. Das ondas do mar a cidade em obras, por labirintos urbanos que cada vez mais se constituem a partir de uma visão linear, sem identidade e sem memória.
A cidade vive nos limites. verAcidade é uma experiência visual entre o conforto e o desconforto e a busca de clareiras poéticas no caos.

Lucila Horn | Curadora

VEJA MAIS

COMPARTILHE ESTE POST: