16-12-01-HABITAR-OS-INCORPORAIS-Schwanke-exposição-62-scaled-e1594234294223

ACERVO VIRTUAL

Aqui estão organizados os registros das exposições que passaram pela Fundação Cultural BADESC, bem como edições especialmente preparadas para o site. Consideramos acervo virtual o conjunto de imagens, sons, textos e memórias trazidas generosamente pelos artistas à Casa e que passam a ser um patrimônio preservado pela Instituição. O objetivo deste projeto é garantir o acesso do público e de pesquisadores a um vasto material sobre artistas, suas produções e a arte contemporânea em Santa Catarina, mantendo-se um registro consistente e cuidadoso. Todos os direitos quanto ao uso das imagens das obras permanecem exclusivos dos próprios artistas. Alterações consideradas necessárias poderão ser solicitadas, a qualquer tempo, para a Equipe da Fundação.

РОССИЯRUSSIA, de Diorgenes Pandini

O trabalho é resultado do olhar do fotógrafo sobre o cotidiano na Rússia, com imagens capturadas durante os festejos da Copa do Mundo de 2018.

NARIZ DE PELO E OS RUÍDOS DA MARIPOSA NA NOITE TEMPESTUOSA, de Luiz Rodolfo Annes

Composta por pequenos desenhos em nanquim sobre papel e dois vídeos, a exposição possibilita um mergulho em um universo próprio e subjetivo de personagens que poderiam habitar qualquer história em quadrinhos ou filme de terror.

A CABEÇA PENSA ONDE OS PÉS PISAM, de Sofia Brito

A exposição reúne trabalhos autobiográficos que atuam como dispositivos para pensar as relações do sujeito com o território, de maneira a desenvolver processos de (re)construção de si mesmo e do entorno em que se insere.

CONTEMPORÂNEOS, de Diego de los Campos

A exposição apresenta aguadas de nanquim de grande formato, numa composição de figuras imprecisas que jogam com dualidades e se encontram em um meio-termo de desenho-pintura, traço-mancha, forma-fundo e retrato-paisagem.

E-N-F-R-E-N-T-A-M-E-N-T-O, de Janaína Corá

O título da mostra sugere um embate com algo ou alguém. Mas também um gesto de coragem. Possibilidade de mergulho nas camadas de tinta; de respiro em uma realidade de força, presença e intenção diante do mundo.

ENSAIO SOBRE AS NUVENS, de Janaina Schvambach

Como um grande arquivo, os trabalhos transitam entre diversas apresentações da forma nuvem: a nuvem como uma metáfora que se transforma e se molda como o observador. A mostra integra a Edição 2019 do Circuito Propagações, uma parceria entre a Fundação Cultural BADESC e o Sesc/SC.

O TAO FEMININO, de Rodrigo Cunha

A exposição apresenta um recorte sobre o tema do universo feminino retratando personagens que têm origem nos relacionamentos do artista, nas suas contemplações de adolescente e no convívio com as mulheres de sua família.

FLORIPA EM 3X4, de Radilson Carlos Gomes

Utilizando três câmeras lambe-lambe, com processo químico de revelação em preto e branco, o fotógrafo se posicionou em praças, ruas e avenidas de Florianópolis, conversou com o público e registrou seus retratos.

VERACIDADE, Coletiva

A mostra propõe um tensionamento das fronteiras entre o real e o imaginário a partir das produções fotográficas dos artistas participantes, proporcionando uma reflexão acerca da imagem naturalizada do que entendemos por cidade para, a partir dela, refletir sobre a nossa experiência com este espaço.

COLETA E BROTO, de Marcia Sousa

A artista propõe uma relação afetiva a partir das formas orgânicas presentes na natureza, buscando imprimir leveza ao olhar, ao gesto artístico e às relações criadas ao longo dos processos.

CORPOS VINCULANTES, de Sérgio Canfield

Mais de 200 trabalhos do artista ocupam os espaços da Fundação, onde se distribuem seus desenhos, pinturas, escritos, vídeos, fotografias, objetos e instalações divididos por tema/suporte/técnica.

zémaria

JOSÉ MARIA DIAS DA CRUZ : PENSAMENTO PICTÓRICO

Pinturas, desenhos, montagens textuais e três objetos somam as 70 obras que compõem a exposição. As obras selecionadas enfatizam duas questões centrais no trabalho do artista: cor e espaço.

ACERVO

Aqui estão organizados os registros das exposições que passaram pela Fundação Cultural BADESC, bem como edições especialmente preparadas para o site. Consideramos acervo virtual o conjunto de imagens, sons, textos e memórias trazidas generosamente pelos artistas à Casa e que passam a ser um patrimônio preservado pela Instituição. O objetivo deste projeto é garantir o acesso do público e de pesquisadores a um vasto material sobre artistas, suas produções e a arte contemporânea em Santa Catarina, mantendo-se um registro consistente e cuidadoso. Todos os direitos quanto ao uso das imagens das obras permanecem exclusivos dos próprios artistas. Alterações consideradas necessárias poderão ser solicitadas, a qualquer tempo, para a Equipe da Fundação.

ICONOGRAFIA 344

A cuidadosa curadoria do também colecionador Ylmar Corrêa Neto permite ao público conhecer documentos raros, pinturas, desenhos, gravuras, mapas e livros originais que nunca haviam sido expostos. Em contraponto, obras de arte modernas e contemporâneas sobre a Ilha articulam representações entre o presente e o passado.

FUNDAÇÃO CULTURAL BADESC

Passados 15 anos, a Fundação é considerada um dos espaços expositivos e culturais mais conceituados de Santa Catarina. Prova disso são os números das atividades culturais gratuitas realizadas ao longo desses anos.
Nesta página, registros de 2006 até 2014 das atividades realizadas na Fundação Cultural BADESC.

Espaço Expositivo Fernando Beck.

ESPAÇO FERNANDO BECK

O projeto resgata a história do Espaço Fernando Beck, essencial à memória das Artes em Florianópolis. Nesta página, registros das exposições ocorridas de 1991 a 2005, período em que o Espaço ocupou o Hall da Agência BADESC, sob coordenação de Neusa Barbi.

RETRATOS FANTÁSTICOS, de Carol Krügel

Trabalhando principalmente com lápis sobre papel envelhecido, a artista cria retratos de seres fantásticos, criando fotografias desses personagens nesse mundo antigo inventado, onde se apresentam como precisamente históricas e ao mesmo tempo com algo de irreal.

AS COISAS DISTANTES PARECEM MENORES DO QUE SÃO NA REALIDADE, de Dante Acosta

Recorte de uma produção artística que investiga as possibilidades do desenho, em práticas realizadas nos últimos cinco anos. São ao todo dezenove trabalhos, com suportes em tela e papel e executados manualmente com canetas e tintas aquareladas – além de edições impressas originárias de desenhos em sketchbook.

PRÊMIO AF DE ARTE CONTEMPORÂNEA 2020

7ª Edição da Premiação da Aliança Francesa de Florianópolis tem como parceira a Fundação Cultural Badesc, que recebe a mostra com obras dos três finalistas: Anna Moraes, Edson Macalini e Jan M.O.

TRAGO A MODERNIDADE, Coletiva

Artistas do Brasil, México e Chile participaram da exposição Trago a Modernidade. A mostra coletiva foi apresentada no espaço Fernando Beck da Fundação Cultural BADESC.

COLEÇÃO CATARINA: COLETAR E CUIDAR

Coletar e cuidar ou colecionar e curar é o mote da coleção catarina, um conjunto de obras de artistas e relacionadas com Santa Catarina, que vem sendo construído por cerca de 40 anos. Curadoria de Ylmar Corrêa Neto.

OVA, de Maristela Müller

A série de fotografias e objetos artísticos remetem à fertilidade e podem representar ovos e óvulos de qualquer animal. O título também remete à expressão uma ova, que exprime negação e repúdio, criando um contraponto poético.

PRÊMIO AF DE ARTE CONTEMPORÂNEA 2019

6ª Edição da Premiação da Aliança Francesa de Florianópolis tem como parceira a Fundação Cultural Badesc, que recebe a mostra com obras dos três finalistas: Anna Moraes, Cyntia Werner e Romeu Silveira.

INVENTÁRIO, de Beatriz Rodrigues | 14ª BIENAL INTERNACIONAL DE CURITIBA | FRONTEIRAS COLABORATIVAS

Explorando a noção de inventário como ponto inicial, a mostra propõe um pensar sobre os processos de arruinamento de bens culturais materiais, como uma reunião de bens de valor afetivo e social.

ÍNDICE, de Sérgio Adriano H | 14ª BIENAL INTERNACIONAL DE CURITIBA | FRONTEIRAS COLABORATIVAS

O trabalho busca por compreender como o “Sistema da Verdade” vem funcionando a serviço do poder, das religiões, dos interesses econômicos ou dos grupos que se perpetuam no topo da pirâmide da sociedade.