AKasha

Primeiro longa-metragem de ficção do documentarista e ativista sudanês Hajooj Kuka, constituído por uma narrativa fictícia com referenciais históricos e sociais contemporâneos de seu país. Trata-se de uma comédia com viés crítico, que gira em torno de um improvável triângulo amoroso entre um jovem, uma jovem e um rifle AK-47. A história transcorre no tempo de 24 horas em meio à guerra civil no Sudão.

Yvone Kane

Rita decide retornar à África, ao país onde nasceu, para reencontrar a sua mãe, Sara. Ela passa a investigar o percurso e a morte de Yvone Kane, uma ex-guerrilheira e ativista política que marcou várias gerações. Um retrato das memórias sobre o protagonismo feminino na guerra de libertação ao colonialismo, realizado pela cineasta portuguesa Margarida Cardoso.